Bis de Ronaldo vale SuperTaça ao Real Madrid

Real Madrid CF 2-0 Sevilla FCCristiano Ronaldo marcou em cada parte e ajudou o campeão europeu Real Madrid a conquistar o primeiro troféu da época.

Bis de Ronaldo vale SuperTaça ao Real Madrid
Bis de Ronaldo vale SuperTaça ao Real Madrid ©UEFA.com

O Real Madrid CF, vencedor da UEFA Champions League, conquistou a SuperTaça Europeia pela segunda vez ao bater o Sevilla FC, detentor da UEFA Europa League, por 2-0.

Ronaldo abre o activo à meia-hora e bisa pouco depois do intervalo 
Real tem agora 14 troféus europeus conquistados  • Ancelotti igualou Guardiola com três SuperTaças  • Os 30.854 espectadores em Cardiff fixaram novo recorde de assistência numa decisão da SuperTaça num só jogo

Numa decisão 100 por cento espanhola, Cristiano Ronaldo marcou em cada parte do encontro realizado em Cardiff e elevou a conta pessoal frente ao Sevilha para 18 golos em 11 jogos em todas as competições. O encontro teve seis portugueses em campo: Pepe, Fábio Coentrão e Ronaldo de início nos "merengues", Beto e Daniel Carriço titulares no Sevilha, enquanto Diogo Figueiras entrou no decorrer da segunda parte da equipa de Unai Emery.

O futebol que nascia da imaginação dos reforços Toni Kroos e James Rodríguez e explodia quando chegava aos pés de Ronaldo, pelo que Gareth Bale fez o guarda-redes Beto passar por algumas dificuldades em lances em que intervieram o internacional galês (12 e 18) e o português (14).

Jogando na tentativa de contenção da constelação de estrelas que surgia do meio-campo contrário, o Sevilha só criou perigo aos 20 minutos, quando Sergio Ramos perdeu a bola perto da área e Vitolo obrigou Iker Casillas a aplicar-se. Na baliza contrária, o duelo Beto-Ronaldo prosseguiu com a valentia do guardião a negar os festejos ao compatriota aos 26 minutos. Quatro volvidos, Bale cruzou tenso e rasteiro da esquerda e, desta feita, Ronaldo, ao poste mais distante, não perdoou e empurrou a bola para o fundo das redes.

Mais lutador do que dominador, o Sevilha voltou a aproveitar uma falha defensiva “merengue” que começou em James (34) e continuou em Coentrão e Pepe para, através de Carriço, tentar o empate, mas o nº1 dos “blancos” evitou o empate. Vencedora do troféu em 2002, a equipa de Carlo Ancelotti chegou ao intervalo mais perto de reeditar esse sucesso.

E foi “à bomba” que Ronaldo (49) abriu a segunda parte, duplicando a vantagem do Real, a passe de Karim Benzema, num disparo em que Beto ainda tocou não conseguiu deter, redimindo-se (68) ao deter um remate de James numa fase em que o Sevilha tentava, sem conseguir, assumir o controlo do jogo, o que deixava o criativo Denis Suárez muitas vezes sem linhas de passe, ficando cada vez mais longe a hipótese de repetir a conquista do troféu averbada em 2006.

Figueiras (84) rendeu Coke e completou a participação lusitana. Casillas (89) desviou para canto remate de Grzegorz Krychowiak na primeira e única ocasião de golo do conjunto da Andaluzia na segunda metade, antes de Bale obrigar Beto a efectuar uma defesa gigante nos descontos.

Topo