UEFA Nations League: tudo o que precisa de saber

O que é? Como vai funcionar? Porque acredita a UEFA que irá melhorar a qualidade e o prestígio do futebol de selecções? Descubra aqui.

UEFA Nations League: tudo o que precisa de saber
©Sportsfile

Qual é o pano de fundo para a UEFA Nations League?

O rejuvenescimento do futebol das selecções nacionais – e a UEFA Nations League – decorre do desejo da UEFA e das suas 55 federações membro de melhorar a qualidade e o prestígio do futebol das selecções nacionais. A UEFA e as federações pretendiam conferir um maior significado desportivo ao futebol das selecções nacionais, com federações, treinadores, jogadores e adeptos cada vez mais de acordo de que os jogos amigáveis não estão a permitir a competitividade adequada às selecções nacionais.

Amplas consultas e debates foram iniciados em 2011 na Reunião Estratégica da UEFA, no Chipre, e tiveram sequência numa série de encontros do Programa Top Executive (TEP) ao longo dos últimos três anos. A UEFA Nations League foi aprovada por unanimidade no XXXVIII Congresso Ordinário da UEFA, em Astana, a 27 de Março de 2014.

Qual é o formato básico?

Os grupos da UEFA Nations League 2020/21
Os grupos da UEFA Nations League 2020/21©UEFA.com
  • O formato da UEFA Nations League conta com subidas e descidas de escalão, dividindo as 55 selecções nacionais europeias em quatro Ligas, de acordo com as respectivas posições no ranking de coeficientes de selecções nacionais no final da UEFA Nations League 2018/19 - a edição inaugural.
  • A Liga A inclui as selecções mais bem posicionadas nesse ranking e a Liga D inclui as piores posicionadas.
  • A composição dos vários grupos para a edição 2020/21 será decidida por um sorteio em Amesterdão, a 3 de Março de 2020, mas as equipas já foram alocadas às suas ligas, no seguimento de um ajuste à competição confirmado pela UEFA e 24 de Setembro de 2019.
  • As Ligas A, B e C integram agora 16 equipas cada, enquanto a Liga D conta com a participação de sete selecções, a partir da edição 2020/21.
  • Com a introdução da nova estrutura de ligas, duas equipas da Liga C serão despromovidas à Liga D para a terceira edição da competição, em 2022/23. Essas duas equipas serão determinadas ao longo de dois jogos (em casa e fora) disputados entre os quatro quartos classificados de cada grupo da Liga C.

Por que foi o formato ajustado após a edição 2018/19?

A alteração do formato surgiu na sequência de um processo de consulta que envolveu todas as 55 federações nacionais da UEFA e reflecte o seu desejo de reduzir ainda mais o número de jogos amigáveis. Para além disso, aumenta a justiça desportiva, já que todas as equipas dos grupos irão disputar o seu último jogo no mesmo dia e à mesma hora. Para além disso, o número de jogos competitivos durante a fase de ligas da prova irá aumentar de 138 para 162, aumentando, dessa forma, o valor comercial da competição.

O bem sucedido conceito da fase final continua intocável, com os vencedores dos quatro grupos da Liga A a defrontarem-se para determinar o campeão da UEFA Nations League.

Quando se disputa a UEFA Nations League?

A UEFA Nations League realiza-se da seguinte forma:

Sorteio da Fase das Ligas: 3 de Março de 2020, Amesterdão
1ª jornada: 3–5 de Setembro de 2020
2ª jornada: 6–8 Setembro de 2020
3ª jornada: 8–10 Outubro de 2020
4ª jornada: 11–13 Outubro de 2020
5ª jornada: 12–14 Novembro de 2020
6ª jornada: 15–17 Novembro de 2020
Sorteio da fase final: a confirmar
Fase final: 2–6 Junho de 2021

Como são calculados os rankings gerais da UEFA Nations League?

Dentro de cada Liga (A, B, C e D), o ranking geral é calculado com base nos pontos, diferença de golos, golos marcados, golos marcados fora, vitórias, vitórias fora, pontos disciplinares e coeficiente.

Quais são as vantagens para as federações e para as selecções nacionais?

As federações e os seleccionadores nacionais consultados pela UEFA revelaram sentir que os amigáveis não permitem uma competitividade desportiva adequada. A UEFA Nations League vai permitir jogos mais significativos e competitivos às selecções e um calendário e estrutura dedicados ao futebol de selecções.

As selecções de topo lutarão também para atingir a fase final da UEFA Nations League, um novo evento de nível superior.

As equipas com menor "ranking" que tenham sentido dificuldades contra equipas com um "ranking" consideravelmente superior que o seu irão agora ter a oportunidade de participar em jogos equilibrados. As equipas não aprendem ou evoluem com derrotas consecutivas; agora algumas equipas irão começar a ganhar.

Com a UEFA Nations League a substituir a maioria dos jogos amigáveis, ainda assim haverá espaço no calendário para essas partidas.

As federações e as selecções irão beneficiar da melhor definição do calendário de jogos, existindo agora alguma folga entre o final do EURO e do Campeonato do Mundo, e vice-versa, além de estabilidade nas receitas.

Quais são as vantagens para os adeptos?

Os adeptos, mais do que ninguém, percebem que a maioria dos amigáveis não proporciona futebol competitivo e de significado. Agora vão passar a ter a oportunidade de ver a sua selecção disputar mais jogos oficiais.

Em cada ano par há um vencedor do Mundial ou do EURO; agora, a cada ano ímpar, haverá um campeão da UEFA Nations League. O futebol gira à volta da competição e agora, tal como no futebol de clubes, haverá um campeão de selecções no fim de cada temporada.

Significa isto mais exigência para jogadores e clubes?

Não. A UEFA Nations League e a Qualificação Europeia vão decorrer de acordo com o calendário internacional existente. A UEFA preservou sempre o equilíbrio entre os clubes e o futebol internacional. A nova competição deve, de facto, reduzir as exigências sobre os jogadores e sobre os clubes com menos viagens para disputar amigáveis enquanto as selecções vão jogar de forma mais consistente no seu próprio nível. Com semanas de jornadas duplas, os jogadores estarão de volta aos respectivos clubes antes do que acontece actualmente.

Isto visa apenas gerar mais receitas?

Não. As finanças não foram o motor da nova competição. Contudo, a competição terá os mesmos direitos centralizados para os media recentemente introduzidos para todos os jogos da Qualificação Europeia, pelo que as federações vão poder usufruir de maior estabilidade na sua receita.

Deixará de haver jogos amigáveis entre selecções?

Haverá, certamente, menos jogos amigáveis e, sem dúvida, menos amigáveis desprovidos de sentido. Contudo, haverá espaço no calendário para jogos internacionais amigáveis – em particular jogos de preparação para fases finais de grandes competições. A UEFA também faz questão de que as selecções europeias continuem a ter a possibilidade de jogar com adversários de outras confederações. 

Topo