O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Araz desafia o Interviú

Alesio acredita que o Araz Naxçivan pode derrotar o Interviú Madrid, detentor da Taça UEFA de Futsal, lembrando aos seus jogadores que "os favoritos nem sempre ganham", na véspera da meia-final.

Alesio, treinador do Araz, acredita numa surpresa
Alesio, treinador do Araz, acredita numa surpresa ©Sportsfile

Em plena contagem decrescente para a meia-final da Taça UEFA de Futsal com o Interviú Madrid, detentor do troféu, o treinador do Araz Naxçivan acredita que a sua equipa pode explorar os pontos fracos do adversário.

Os líderes do campeonato do Azerbaijão têm dominado a modalidade no seu país nos últimos anos, mas Alesio disse ao UEFA.com que está à espera de muito mais dificuldades quando o Araz defrontar a forte equipa espanhola no Pavilhão Atlântico. "Claro que será um jogo extremamente duro, mas temos um plano para surpreender aqueles que pensam que o vencedor já está encontrado", afirmou. "Dito isto, esperamos que o nosso adversário imponha o ritmo do jogo, e isso irá criar-nos problemas".

Estrela do passado do futsal brasileiro, Alesio tem ganho reputação enquanto treinador e, aos 41 anos, espera causar uma grande surpresa em Lisboa, tal como fez no Campeonato da Europa, na Hungria, em Janeiro, quando levou o Azerbaijão às meias-finais. "As pessoas podem pensar que já ficamos felizes por estarmos aqui, mas eu não me sinto assim", explicou. "Vamos defrontar as melhores equipas nesta prova, incluindo os campeões europeus, mas sabem que mais? Os favoritos nem sempre ganham e é isso que digo todos os dias aos meus jogadores".

Apesar de estar a conseguir resultados inconstantes em Espanha, o Interviú chega à capital portuguesa como grande favorito a levantar o troféu pela quarta vez, mas primeiro terá de bater uma equipa do Araz capaz de provocar uma surpresa. "Temos visto com atenção os jogos que eles perderam no campeonato espanhol. Claro que jogarão aqui com uma mentalidade diferente, mas temos reparado em alguns pontos fracos", acrescentou Alesio. "Agora, vamos jogar e ver o que acontece".

Entretanto, Jesús Candelas, treinador do Interviú, comentou com muita calma as incidências da prova que vai decorrer em Lisboa.

Em declarações ao UEFA.com, o técnico admitiu que só vai conhecer o seu primeiro adversário quando começar o jogo de sexta-feira. "Podem ver-se todos os vídeos do Mundo de uma determinada equipa e obter-se todas as estatísticas necessárias, mas até que se comece a jogar não se sabe o que se vai encontrar", referiu.

Candelas descreveu o ambiente que se vive na equipa espanhola como "o que tem de ser antes de um torneio desta importância" e acrescentou que a experiência de vitórias será um factor importante na meia-final. "Temos de manter a concentração porque este é um jogo de vencer ou morrer, mas os nossos jogadores têm consciência de que estão a fazer história no clube, pelo que isso não será um problema."

Seleccionados para si