Factos Wolves - Braga

O Wolverhampton Wanderers vai iniciar a primeira participação numa fase de grupos com a recepção ao Braga, com larga experiência na competição.

Os "wolves" estão a competir pela primeira vez na Europa desde 1980
Os "wolves" estão a competir pela primeira vez na Europa desde 1980 ©Getty Images

Depois de ultrapassar três pré-eliminatórias na primeira campanha europeia em 39 anos, o Wolverhampton Wanderers vai iniciar a primeira aventura na fase de grupos da UEFA Europa League com a recepção ao experiente Braga, que também se qualificou com um registo perfeito.

Encontros anteriores
• Embora os "wolves" nunca tenham defrontado o Braga, este é o sétimo duelo europeu com uma equipa portuguesa. Os ingleses venceram cinco dos seis jogos anteriores, incluindo os três em casa; o primeiro frente à Académica de Coimbra, na primeira eliminatória da Taça UEFA de 1971/72, no início de uma caminhada que só terminou na final.

• O registo do Braga em 18 jogos frente a adversários ingleses é 6V 2E 10D. Só uma das vitórias foi conseguida em Inglaterra, por 3-1, no terreno do Birmingham City, na primeira jornada da UEFA Europa League de 2011/12. A primeira das seis derrotas em solo inglês foi por 0-1, frente ao West Bromwich Albion, rival local dos "wolves", em Novembro de 1978, e a mais recente, por 2-3, frente ao Manchester United, na fase de grupos da UEFA Champions League de 2012/13, quando os minhotos estiveram a vencer por 2-0 em Old Trafford.

Resumo da final de 1972: Tottenham 3-2 Wolves
Resumo da final de 1972: Tottenham 3-2 Wolves

Guia de forma

Wolves

• Em 2018/19, na primeira época após o regresso à Premier League, os "wolves" terminaram em sétimo lugar e qualificaram-se para as competições europeias pela primeira vez desde que foram eliminados pelo PSV Eindhoven na primeira eliminatória da Taça UEFA de 1980/81.

• O clube das West Midlands realizou claramente a melhor campanha europeia em 1971/72, a época de estreia da Taça UEFA, quando perdeu por 2-3 com o Tottenham Hotspur na final a duas mãos.

• Os "wolves" venceram os seis jogos na qualificação desta época, afastando Crusaders (2-0 c, 4-1 f), Pyunik (4-0 c, 4-0 f) nas pré-eliminatórias e o Torino, no “play-off”, (3-2 f, 2-1 c). Isto significa que venceram os sete jogos europeus no Molineux desde a derrota por 1-2 com os "spurs" na primeira mão da final da Taça UEFA em 1972.

Braga

• A 15ª qualificação europeia do Braga nos últimos 16 anos foi conseguida graças ao quarto lugar na liga portuguesa de 2018/19, época em que a carreira na UEFA Europa League terminou cedo depois da eliminação frente ao Zorya Luhansk, devido aos golos marcados fora, na terceira pré-eliminatória.

• Brøndby (4-2 f, 3-1 c) e Spartak Moscovo (1-0 c, 2-1 f) foram as vítimas do Braga nas pré-eliminatórias desta época. O clube português está pela quinta vez na fase de grupos da UEFA Europa League e conseguiu seguir em frente em três das quatro participações anteriores, embora a sua melhor campanha na prova - e nas competições da UEFA - tenha acontecido em 2010/11, quando foi transferido a meio da época da UEFA Champions League e eliminou, entre outros, Liverpool e Benfica, antes de perder por 1-0 na final de Dublin com o Porto.

• O Braga está invicto há sete jogos europeus (5V 2D), tendo sofrido a última derrota em Marselha (0-3), nos oitavos-de-final da UEFA Europa League de 2017/18. O registo fora de casa na fase de grupos da UEFA Europa League é de 3V 6E 3D, tendo conseguido as três vitórias na primeira jornada, frente a Birmingham, Slovan Liberec (1-0 em 2015/16) e Hoffenheim (2-1 em 2017/18).

Veja o Braga a vencer o Marselha em 2018
Veja o Braga a vencer o Marselha em 2018

Ligações e curiosidades

• Para além do treinador Nuno Espírito Santo, existem sete jogadores portugueses na equipa dos "wolves" - Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho, Diogo Jota, Rúben Vinagre, Pedro Neto e Bruno Jordão, os dois últimos foram formados na academia do Braga.

• Willy Boly, defesa francês do "wolves", foi jogador do Braga em 2015-16, enquanto o avançado mexicano Raúl Jiménez marcou três golos ao Braga no período em que esteve ao serviço do Benfica, entre 2015 e 18.

• João Moutinho (Sporting CP, 2005/06) e Diogo Jota (Paços de Ferreira, 2015/16) também marcaram em vitórias por 1-0 sobre o Braga na Liga.

• Eduardo, guarda-redes do Braga, foi jogador do Chelsea durante três anos, mas não disputou qualquer jogo oficial pelo clube londrino até sair em Julho para regressar ao clube onde iniciou a carreira.

Os dez melhores golos da Europa League de 2018/19
Os dez melhores golos da Europa League de 2018/19

• Rui Fonte, atacante do Braga, também passou por Londres, onde representou Arsenal, Crystal Palace e Fulham.

• Os "wolves" são um dos seis estreantes na fase de grupos da UEFA Europa League desta época; os outros são Espanhol, Ferencváros, Olexandriya e dois clubes austríacos, LASK e Wolfsberg.

Os treinadores
• Antigo guarda-redes, fez parte da selecção de Portugal que participou no UEFA EURO 2008, mas nunca somou qualquer internacionalização pelos seniores. Nuno Espírito Santo foi quase sempre suplente durante a carreira de jogador, mas como treinador não demorou a destacar-se, afirmando-se estudioso e evolutivo nas passagens pelo comando de Valência, Porto e, desde Maio de 2017, dos "wolves". Destacou-se em Portugal ao levar o Rio Ave a duas finais de taças domésticas e à qualificação europeia, antes de brilhar em Espanha durante uma passagem de 18 meses pelo Mestalla. Levou os "wolves" à Premier League na época de estreia e conseguiu a qualificação para a UEFA Europa League na segunda.

• Um avançado talentoso que marcou dez golos em 45 internacionalizações por Portugal, tendo participado nos Campeonatos da Europa em 1996 e 2000, Ricardo Sá Pinto passou a maior parte da sua carreira no Sporting, com os dois períodos ao serviço do clube de Lisboa intervalados por uma passagem de três anos pela Real Sociedad. Fez a estreia como treinador no clube de Alvalade, em 2012, mas resistiu pouco tempo, tendo rumado ao estrangeiro para orientar equipas na Sérvia, Grécia, Arábia Saudita, Bélgica e depois na Polónia, no Légia Varsóvia, antes de assinar um contrato de dois anos com Braga em Julho de 2019.

Topo