Retrospectiva: Eintracht Frankfurt - Benfica

O "hat-trick" de João Félix na primeira mão ajudou o Benfica a ficar na frente do embate dos quartos-de-final, mas o Eintracht tem razão para poder virar a eliminatória.

João Félix esteve imparável na primeira mão
João Félix esteve imparável na primeira mão ©Getty Images

A emocionante primeira mão em Lisboa, na qual João Félix, de 19 anos, fez um "hat-trick" que levou o Benfica ao triunfo por 4-2 sobre um Eintracht Frankfurt reduzido a dez jogadores desde os 20 minutos, fez crescer água na boca para o encontro da segunda mão, no centro da Alemanha.

• O Eintracht tem feito uma época impressionante e ainda não tinha perdido até à derrota na primeira mão, em Lisboa. Venceu o Grupo H com o máximo de pontos, derrotando em casa e fora Lázio, Apollon Limassol e Marselha, finalista vencido em 2017/18. Seguiu-se na fase a eliminar os triunfos sobre o Shakhtar e o Inter, adversários que, tal como o Benfica, transitaram a meio da temporada da UEFA Champions League.

• O Benfica passou para a UEFA Europa League depois de terminar em terceiro no seu grupo da UEFA Champions League, atrás de Bayern e Ajax, com sete pontos. Suplantou outro participante da UEFA Champions League nos 16 avos-de-final, o Galatasaray, por um total de 2-1, seguindo-se o afastamento do campeão croata do Dínamo Zagreb, após prolongamento, nos oitavos-de-final.

Resumo: Benfica 4-2 Eintracht Frankfurt
Resumo: Benfica 4-2 Eintracht Frankfurt

Confrontos anteriores
• O primeiro encontro entre os clubes nas provas da UEFA foi pleno de incidências. O defesa do Eintracht, Evan N'Dicka, foi expulso depois de fazer um penalty no minuto 21, que possibilitou a Félix inaugurar o marcador, e, apesar de Luka Jović ter empatado com o seu oitavo golo da competição, um segundo tento de Félix - que havia marcado nas provas europeias - fez o 2-1 no intervalo. O Benfica faria mais dois golos pouco tempo depois do recomeço, por Rúben Dias e de novo Félix, mas o português do Eintracht, Gonçalo Paciência, saltaria do banco para reduzir e trazer de novo o conjunto alemão para a disputa da eliminatória.

• O Eintracht apenas uma vez encontrou adversários portugueses nas competições da UEFA, tendo sido afastado pelo Porto pelos golos marcados fora na única participação que teve na UEFA Europa League, em 2013/14, (2-2 fora, 3-3 em casa), nos 16 avos-de-final.

• O Benfica tem larga experiência contra adversários alemães e em 47 jogos na UEFA regista 14 vitórias, 14 empates e 19 derrotas. Apenas ganhou dois dos 24 jogos disputados na Alemanha. Venceu apenas dois dos 24 jogos disputados na Alemanha, ambos na fase a eliminar da UEFA Europa League - 2-0 contra o Estugarda em 2010/11 e 1-0 com o Bayer Leverkusen, em 2012/13. A mais recente das 16 derrotas ocorreu na fase de grupos da UEFA Champions League desta temporada, quando perdeu por 5-1 no terreno do Bayern de Munique. Também foi derrotado em solo alemão pelo PSV Eindhoven, na final da Taça dos Campeões de 1988, ao ser derrotado nos penalties depois de um 0-0 em Estugarda.

• O clube de Lisboa venceu as três eliminatórias disputadas na UEFA Europa League frente a adversários da Bundesliga e sempre nos oitavos-de-final: Hertha (2009/10), Estugarda (2010/11) e Leverkusen (2012/13), tendo ganho os últimos cinco desses jogos.

Cinco grandes momentos no quartos-de-final da #UEL
Cinco grandes momentos no quartos-de-final da #UEL

Guia de forma
Eintracht
• A emocionante vitória na final da Taça da Alemanha de 2017/18 sobre o Bayern, vencedor da Bundesliga – por 3-1 em Berlim – deu ao Eintracht o seu primeiro grande troféu em 30 anos e garantiu a primeira presença europeia em cinco temporadas.

• Vencedor da Taça UEFA em 1980 abriu o Grupo H com uma vitória por 2-1 em Marselha, o Eintracht garantiu a qualificação ao derrotar Lázio (4-1 em casa) e Apollon (2-0 em casa, 3-2 fora), mantendo a série de vitórias frente ao Marselha (4-0 em casa) e Lázio (2-1 fora) para terminar com nove pontos de vantagem sobre o clube italiano. O empate 2-2 em casa do Shakhtar, na primeira mão dos oitavos-de-final, terminou com o registo perfeito, mas uma vitória por 4-1 em casa valeu-lhe o apuramento pela primeira vez para os oitavos-de-final da UEFA Europa League, ao derrotar o Inter, por 1-0, em Milão, graças a um golo madrugador de Luka Jović – o seu sétimo na competição – após uma primeira mão sem golos em Frankfurt.

• A única outra participação europeia do Eintracht nas últimas 12 temporadas aconteceu em 2013/14, quando suplantou com sucesso o "play-off" e a fase de grupos da UEFA Europa League, esta com 15 pontos, antes de ser afastado pelo Porto nos 16 avos-de-final.

• O registo do Eintracht na UEFA Europa League, em casa e fora, incluindo a qualificação, é de V15 E4 D2; até ao desaire da primeira mão, a única derrota surgiu na deslocação ao reduto do Maccabi Telavive (2-4), em Novembro de 2013. O seu registo caseiro na competição é o V8 E2, com apenas Porto e Inter a evitarem a derrota.

• O registo total do Frankfurt em confrontos a duas mãos em provas da UEFA, depois de perder na primeira mão fora, é de sete vitórias em 11, três delas no caminhada rumo à conquista da Taça UEFA de 1979/80, quando venceu o Dinamo Bucureşti (0-2 fora, 3-0 em casa) e Bayern München (0-2 fora de casa, 5-1 em casa), antes da vitória graças aos golos fora na final contra o Borussia Mönchengladbach (2-3 fora, 1-0 em casa). Nunca perdeu anteriormente por 4-2 na primeira mão.

O hat-trick de João Félix na primeira mão
O hat-trick de João Félix na primeira mão

Benfica
• Segundo classificado da Liga Portuguesa em 2017/18 após o recorde no clube de quatro títulos consecutivos, o Benfica iniciou a época europeia na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League ao vencer o Fenerbahçe por um total de 2-1, antes de eliminar o PAOK no "play-off" (1-1 em casa, 4-1 fora). Participou por isso pela nona temporada consecutiva na fase de grupos da UEFA Champions League – 14ª no total.

• Tendo terminado sem pontos e no último lugar do seu grupo em 2017/18, desta vez as "águias" venceram em casa e fora o AEK Atenas e garantiram o terceiro lugar no Grupo E – o outro ponto registou-se no empate 1-1 em casa com o Ajax. O Galatasaray saiu de cena nos primeiros encontros do Benfica na UEFA Europa League desde a final de 2014: à vitória por 2-1 em Istambul seguiu-se um empate a zero em Lisboa, antes da vitória por 3-0, após prolongamento, consumar a reviravolta depois da derrota na Croácia ante o Dínamo Zagreb, por 1-0, nos oitavos-de-final.

• O Benfica participa nos quartos-de-final da UEFA Europa League pela quinta vez, registo recorde. Foi eliminado na primeira das quatro anteriores presenças – diante do Liverpool em 2009/10 (2-1 casa, 1-4 fora) – mas venceu as últimas três - contra o PSV Eindhoven em 2010/11 (4-1 em casa, 2-2 fora), Newcastle United em 2012/13 (3-1 em casa, 1-1 fora) e AZ Alkmaar em 2013/14 (1-0 fora, 2-1 casa). O seu registo fora neste momento da competição é, assim, de V1 E2 D1.

• O Benfica foi derrotado em 11 dos últimos 22 jogos europeus, mas as sete vitórias e os quatro empates foram todos nesta época, durante os quais venceu tantos jogos fora como perdeu (três). O seu registo total fora na UEFA Europa League, fase de grupos até à final, é de V10 E5 D5, a ronda dos oitavos-de-final em Zagreb, tendo terminado uma série invicta de cinco jogos (W4 D1).

• Houve 57 ocasiões em que o Benfica venceu em casa a primeira mão de provas da UEFA, tendo ganho 48 no total, as mais recentes ante o Fenerbahçe, na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League (1-0 em casa, 1-1 fora). A última vez que não conseguiu segurar a vantagem da primeira mão foi em solo alemão, frente ao Borussia Dortmund, nos oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2016/17 (1-0 em casa, 0-4 fora).

• Apesar de nunca ter disputado fora uma segunda mão com uma vantagem de 4-2, o Benfica venceu a primeira mão em Lisboa com uma margem de dois golos 14 vezes, sendo apenas eliminado uma vez - frente a uma equipa da antiga Alemanha Oriental. a cidade de Frankfurt (an der Oder), o Vorwärts, que ganhou em casa pelo mesmo resultado seguindo em frente  venceu o regresso com a mesma margem antes de vencer nos penalties a segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças de 1970/71.

Recordações da Europa League: Eintracht perde em jogo emocionante com dez golos
Recordações da Europa League: Eintracht perde em jogo emocionante com dez golos

Ligações e curiosidades
• Haris Seferović, avançado do Benfica, jogou três temporadas no Eintracht Frankfurt, pelo qual marcou 16 golos na Bundesliga, antes de rumar a Lisboa em 2017.

• Jović, atacante do Eintracht, está nesta altura na segunda época de empréstimo pelo Benfica, tendo ingressado nos "encarnados" em Fevereiro de 2016 oriundo do Estrela Vermelha.

• Andrija Živković e Ljubomir Fejsa, jogadores do Benfica, são colegas na selecção da Sérvia do trio do Eintracht constituído por Jović, Mijat Gaćinović e Filip Kostić.

• Živković e Gaćinović ganharam juntos pela Sérvia o Campeonato do Mundo de Sub-20 da FIFA em 2015.

• Gonçalo Paciência, dianteiro português do Eintracht, foi jogador do Porto, bem como de Académica, Rio Ave e Vitória de Setúbal, nestes por empréstimo.

Trapp satisfeito por não sofrer golos do Inter
Trapp satisfeito por não sofrer golos do Inter

• O guarda-redes do Benfica, Odisseas Vlachodimos, nasceu na Alemanha e começou a carreira no clube da cidade-natal, o Estugarda, tendo-se estreado na equipa principal frente ao Eintracht em Agosto de 2015 (1-4). Kostić foi seu colega no clube de 2014 a 2016.

• Gelson Fernandes, médio suíço do Eintracht e colega de selecção de Seferović, jogou pelo rival citadino do Benfica, o Sporting, em 2012/13.

• O Benfica fez mais jogos na fase a eliminar da UEFA Europa League do que qualquer outro clube (37). Atingiu as meias-finais em 2011 e a final em 2013 e 2014 – perdidas, respectivamente, frente ao Chelsea em Amesterdão (1-2) e diante do Sevilha em Turim (0-0, 2-4 nos penalties). Em contraste, apenas jogou seis partidas na fase de grupos e nenhuma desde 2009/10.

• O Eintracht é um dos dois clubes que disputa os quartos-de-final da UEFA Europa League pela primeira vez; o outro é o Slávia Praga.

• O emblema alemão é um dos quatro antigos vencedores da prova presentes nos quartos-de-final desta temporada; Chelsea, Nápoles e Valência são os outros.

• Invicto em 2019 em todas as competições até à derrota na primeira mão em Lisboa, o Eintracht somou a segunda derrota do ano no domingo, ao perder por 1-3 em casa, frente ao Augsburgo, na Bundesliga. O conjunto alemão permanece em quarto lugar, agora com mais um ponto do que o Borussia Mönchengladbach.

• O Benfica averbou mais um triunfo em casa, por 4-2, no domingo, derrotando o Vitória FC, para se manter no topo da Liga portuguesa, à frente do FC Porto (em igualdade pontual), em virtude do melhor registo no frente-a-frente com os "dragões". Ambas têm 72 pontos com cinco partidas restantes na Liga.

Europa League 2011: Benfica v PSV
Europa League 2011: Benfica v PSV

Desempates por grandes penalidades
• O registo do Eintracht no desempate por grandes penalidades nas provas da UEFA é V0 E1:
4-5 v Salzburgo, 1993/94, Taça UEFA, quartos-de-final

• O registo do Benfica em quatro desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é V2 D2:
4-1 v Torpedo Moscovo, 1977/78, Taça dos Campeões Europeus, primeira eliminatória
5-6 v PSV Eindhoven, 1987/88, Taça dos Clubes Campeões Europeus, final
4-1 PAOK, 1999/2000, Taça UEFA, segunda eliminatória
2-4 v Sevilla, 2013/14, UEFA Europa League, fin

Os treinadores
• Bruno Lage foi confirmado como treinador do Benfica até final da época a 14 de Janeiro. Era o responsável pela equipa B do clube quando foi chamado para dirigir interinamente a formação principal após a saída de Rui Vitória, no início do desse mês. A 19 de Fevereiro assinou um novo contrato até 2023. Com 42 anos, Lage, nascido em Setúbal (a mesma cidade de José Mourinho), desempenha pela primeira vez as funções de técnico na primeira divisão, mas acumulou vasta experiência noutras funções. Foi treinador dos escalões jovens do Benfica de 2004 a 2012 e passou depois pelo futebol inglês como adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea.

• O treinador austríaco Adi Hütter foi nomeado pelo Eintracht Frankfurt como sucessor de Niko Kovač, que rumou ao Bayern, em Maio de 2018, depois de ter levado o Young Boys ao seu primeiro título de campeão suíço em 32 anos. Antigo médio, jogou sete anos no Salzburgo e regressou ao clube para uma ganhar a "dobradinha" doméstica em 2014/15 após passagens por Altach e Grödig. Passou a fronteira depois para treinar nas três temporadas seguintes o conjunto de Berna.

Topo