Rio Ave marca quatro, mas fica pelo caminho

O Rio Ave esteve por duas vezes a um golo da qualificação, mas empatou 4-4 em casa frente ao Jagiellonia na 2ª mão da 2ª pré-eliminatória e foi eliminado.

Cillian Sheridan marcou cedo para o Jagiellonia frente ao Rio Ave
Cillian Sheridan marcou cedo para o Jagiellonia frente ao Rio Ave ©Badri Ketiladze

O Rio Ave empatou 4-4 frente ao Jagiellonia num emotivo duelo na segunda mão da segunda pré-eliminatória da UEFA Europa League e foi eliminado (4-5 no total).

Depois da vitória por 1-0 na semana passada, a equipa polaca repetiu a receita e voltou a marcar cedo. Przemysław Frankowski ganhou uma bola no meio-campo atacante e cruzou para conclusão simples de Cillian Sheridan.

Os anfitriões podiam ter empatado na resposta aos nove minutos, quando Galeno conduziu um contra-ataque e serviu Gelson, mas Marián Kelemen realizou uma boa defesa. O golo do Rio Ave surgiu quando os papéis se inverteram aos 27 minutos, Gelson desmarcou Galeno na área e o brasileiro não perdeu a oportunidade de bater Kelemen e fazer o empate.

A equipa de José Gomes consumou a reviravolta nos instantes finais da primeira parte. Galeno foi derrubado à entrada da área do Jagiellonia e depois converteu o livre de forma exemplar.

O Rio Ave procurava o golo da qualificação, mas foi o Jagiellonia a marcar aos 56 minutos. Bartosz Kwiecień bombeou uma bola para a área e o capitão Taras Romanchuk surgiu nas costas da defesa portuguesa a fazer o empate a dois. A formação da casa reagiu bem e, aos 59 minutos, Galeno bateu um pontapé de canto da esquerda, Frankowski desviou de cabeça e os polacos foram salvos pela trave.

O 3-2 surgiu no canto seguinte, aos 63 minutos Kelemen não conseguiu segurar o remate de Nélson Monte e Gelson aproveitou para marcar na recarga. O angolano ficou perto de bisar três minutos depois, ultrapassou três defesas e só uma bela defesa do guarda-redes eslovaco evitou o quarto golo da equipa da casa. Aos 68 minutos foi Tarantini que ficou perto de marcar, os polacos eram mais eficazes.

O Jagiellonia voltou a empatar aos 72 minutos, Martin, que tinha entrado aos 60, recebeu a bola de Frankowski e bateu Giorgi Makaridze para o 3-3. O Rio Ave pressionava e os polacos marcavam, aos 79 minutos o médio Romanchuk subiu ao ataque num pontapé de canto e voltou a bater Makaridze, desta vez com um cabeceamento ao primeiro poste.

A eliminatória estava decidida, mas os jogadores vilacondenses nunca baixaram os braços e evitaram a derrota aos 84 minutos. Galeno serviu Damien Furtado, entrado quatro minutos antes, e o resultado final ficou em 4-4.

Figura: Taras Romanchuk (Jagiellonia)

O capitão do Jagiellonia foi o melhor exemplo da eficácia da equipa visitante. Não esteve particularmente activo, mas marcou dois golos decisivos para o desfecho da eliminatória.

Momento: Segundo golo de Romanchuk

O Rio Ave esteve por duas vezes a um golo da qualificação, mas os polacos mostraram enorme eficácia e o segundo golo do médio confirmou a qualificação em Vila do Conde.

Topo