Advocaat feliz ao fazer história

O treinador holandês elogiou o "momento histórico" do Zenit, depois de o clube russo ter alcançado as meias-finais pela primeira vez no seu historial.

Vyacheslav Malafeev (Zenit) e Dmitri Bulykin (Bayer Leverkusen) durante um lance do encontro da Rússia
Vyacheslav Malafeev (Zenit) e Dmitri Bulykin (Bayer Leverkusen) durante um lance do encontro da Rússia ©Getty Images

Dick Advocaat realçou o "momento histórico" do FC Zenit St. Petersburg, depois de os campeões russos terem alcançado as meias-finais da Taça UEFA pela primeira vez no seu historial, apesar do desaire (1-0) em casa, na segunda mão, perante o Bayer 04 Leverkusen. O treinador da equipa alemã, Michael Skibbe, ficou conformado com a derrota, por 4-2, no conjunto das duas mãos, elogiando os seus jogadores por terem reposto o orgulho perdido, depois de uma "péssima actuação" na semana passada.

Dick Advocaat, treinador do Zenit
Em primeiro lugar, chegar às meias-finais é um momento histórico para o clube. Devo dizer que é inteiramente merecido. Não jogámos bem na primeira parte e parecíamos nervosos. O Leverkusen superou-nos e, para dizer a verdade, tivemos sorte por chegar ao intervalo a perder apenas por um golo. Mas fomos uma equipa melhor depois do descanso e acho que merecíamos um empate. Estávamos algo inibidos na primeira parte e fomos cautelosos, porque tínhamos seis jogadores a um cartão amarelo da suspensão. Na globalidade, os atletas fizeram um grande trabalho ao não verem quaisquer cartões. É uma pena que o Anatoliy Tymoschuk não tenha marcado o penalty para empatar o jogo, mas continuará encarregue de cobrá-los, mesmo tendo falhado. O mais importante é que passámos. É muito cedo para pensar em vencer a Taça UEFA, mas temos uma oportunidade. Neste momento, estou feliz por ter chegado às meias-finais.

Michael Skibbe, treinador do Leverkusen
Gostaria de felicitar o Zenit pela vitória na eliminatória e desejar-lhes sorte para as meias-finais. Mereceram passar. Ao mesmo tempo, estou muito feliz por termos ganho e conseguimos redimir-nos de uma péssima exibição na primeira mão. Jogámos com bastante ritmo e objectividade na primeira parte, mas, infelizmente, não conseguimos fazer o segundo golo, que deixaria o Zenit algo nervoso. Após o intervalo, o Zenit pegou no jogo e pressionou-nos, apesar de também termos tido algumas oportunidades. Mas não as aproveitámos.

Topo