Rangers segue em frente

Werder Bremen 1-0 Rangers FC (total: 1-2)
Um triunfo pela margem mínima não foi suficiente para o Bremen dar a volta à eliminatória.

Per Mertesacker (ao centro) luta com os jogadores do Rangers
Per Mertesacker (ao centro) luta com os jogadores do Rangers ©Getty Images

O guarda-redes Allan McGregor foi o herói do Rangers FC no Weserstadion, onde o Werder Bremen, com Hugo Almeida a titular, não conseguiu melhor do que uma vitória por 1-0, acabando eliminado por 2-1 no conjunto das duas mãos.

Rangers em frente
Com dois golos de desvantagem trazidos do encontro da primeira mão, em Glasgow, há uma semana, o Bremen controlou a partida, mas só conseguiu marcar por uma vez, por intermédio do antigo médio brasileiro do FC Porto, Diego. O Rangers segue, assim, para o sorteio dos quartos-de-final, onde será a única equipa britânica a marcar presença.

Escassa recompensa
Foram precisos 58 minutos para o Bremen chegar ao golo, graças ao pequeno génio Diego. A defesa do Rangers não conseguiu melhor do que afastar a bola para a entrada da sua área, que chegou até ao Nº10 dos alemães. Este levantou a bola por cima de um adversário e, quando se aproximava mais um defesa do Rangers, disparou rasteiro para o fundo da baliza à guarda de McGregor. O golo era uma recompensa merecida para a incessante pressão do Bremen, que começou logo nos primeiros minutos, quando um desvio de Per Mertesacker na sequência de um pontapé de canto não foi convenientemente aproveitado por Markus Rosenberg, que disparou para fora.

Jogo de sentido único
Sebastian Boenisch e Hugo Almeida também tentaram a sua sorte, mas igualmente sem êxito. Depois, foi Tim Borowski a desmarcar-se bem na área do Rangers e a rematar de primeira, por cima, após um bom passe de Diego. Rosenberg e Daniel Jensen viram os seus remates, já dentro da área, serem bem defendidos por McGregor. De seguida voltou a ser Hugo Almeida a desperdiçar  nova ocasião de golo, cabeceando ligeiramente ao lado, enquanto do lado oposto, num dos raros ataques da formação escocesa, o avançado Lee McCulloch forçou Tim Wiese a aplicar-se.  

Golo insuficiente
À medida que a primeira parte se ia aproximando do fim, os pupilos de Walter Smith pareciam mais tranquilos. Contudo, o Bremen continuou a dominar após o reatamento e McGregor brilhou ao defender para canto um remate de Jensen, antes de Mertesacker cabecear, sem oposição, por cima da trave, na sequência desse pontapé de canto. Após o golo de Diego, a pressão da equipa comandada por Thomas Schaaf intensificou-se ainda mais, mas McGregor continuava a ser o inimigo número um dos alemães. O guarda-redes internacional escocês conseguiu defender para a trave um remate de Boubacar Sanogo já bem perto do alvo, depois do avançado costa-marfinense, que havia entrado para o lugar de Hugo Almeida, ter captado um bom passe de Rosenberg. Na última oportunidade do jogo, McGregor voltou a brilhar, defendendo um remate de longe de Naldo e segurando a vantagem da sua equipa na eliminatória.

Topo