Nuremberga ameaça vantagem "encarnada"

Uma vitória por 1-0 em Lisboa é tudo o que o Benfica tem para defender ante o Nuremberga quando ambas as equipas se reencontrarem na Alemanha.

Jan Koller juntou-se ao Nuremberga em Janeiro
Jan Koller juntou-se ao Nuremberga em Janeiro ©Getty Images

Uma vitória por 1-0 em Lisboa é tudo o que o Benfica tem para defender ante o 1. FC Nürnberg quando ambas as equipas se reencontrarem na Alemanha, para disputar a segunda mão dos 16 avos-de-final da Taça UEFA.

• Ariza Makukula apontou o único golo do jogo no Estádio da Luz, mas o Nuremberga, já sob o comando técnico de Thomas von Heesen - dominou largos períodos do encontro e tem razões para acreditar na reviravolta.

• O Nuremberga decidiu demitir o seu anterior treinador, Hans Meyer, dois dias antes da primeira mão. Contratado a 9 de Novembro de 2005, Meyer guiou o Nuremberga à conquista da Taça da Alemanha na época passada, um troféu que fugia aos alemães há 45 anos. Na final, a turma de Nuremberga derrotou o VfB Stuttgart, por 3-2, mas Meyer acabou por deixar o clube, que ocupa a antepenúltima posição na Bundesliga.

• Thomas von Heesen foi o eleito para suceder a Meyer, tendo assinado um contrato até ao Verão de 2009. O técnico de 46 anos notabilizou-se enquanto jogador do Hamburger SV, emblema ao serviço do qual conquistou a Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1982/83. Treinou o DSC Arminia Bielefeld e o 1. FC Saarbrucken e é coadjuvado por Michael Oenning, de 42 anos.

• O treinador do Nuremberga jogou diante do FC Porto em duas ocasiões quando representava o Hamburgo. Apontou o único golo da sua equipa, na vitória caseira por 1-0 na terceira eliminatória da Taça UEFA em 1989/90. Alinhou igualmente na derrota em Portugal, por 2-1, mas o Hamburgo passaria à próxima eliminatória, devido à diferença de golos marcados fora.

• O Benfica chegou aos 16 avos-de-final da Taça UEFA depois de ter terminado no terceiro lugar do Grupo D da UEFA Champions League. O Nuremberga, por seu lado, terminou no segundo lugar do Grupo A da Taça UEFA.

• As duas equipas defrontaram-se nos quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus de 1961/62, com o Benfica a vencer por 7-3 no conjunto das duas mãos, continuando a sua caminhada rumo à final da prova, em Amesterdão, onde bateu o Real Madrid CF 5-3 e se sagrou campeão da Europa pelo segundo ano consecutivo.

• Cavém colocou o Benfica em vantagem na primeira mão, na Alemanha, mas dois golos de Gustav Flachenecker e um de Heinz Strehl pelo meio deram ao Nuremberga uma vitória por 3-1. Na segunda mão, o Benfica, comandado por Béla Guttman, goleou o Nuremberga por 6-0, com José Águas e Eusébio a marcarem um golo cada logo nos primeiros quatro minutos de jogo. Eusébio voltou a marcar, antes de Coluna e José Augusto, por duas vezes na segunda parte, apontarem os tentos que confirmaram o apuramento da formação portuguesa.

• No total, o Benfica já disputou 28 encontros frente a adversários alemães, somando sete vitórias, nove empates e 12 derrotas. Nunca venceram na Alemanha, onde disputaram 14 encontros, tendo empatado três e perdido 11.

• Os três embates frente ao Benfica representam os únicos confrontos do Nuremberga com adversários portugueses.

• O treinador do Benfica, José Antonio Camacho, disputou 22 jogos frente a adversários alemães ao serviço da Espanha e do Real Madrid CF, contabilizando sete vitórias, seis empates e nove derrotas.

• O vencedor desta eliminatória vai defrontar os vencedores do duelo entre AEK Athens FC e Getafe CF nos oitavos-de-final, agendados para 12 e 13 de Março, disputando a segunda mão em casa.

• Alterações de jogadores inscritos na Taça UEFA
Benfica: Entraram - László Sepsi, Ariza Makukula, Pedro Manuel.
Saíram – Miguelito, Bruno Costa, Gonzalo Bergessio, Fábio Coentrão.
Nuremberga: Entraram - Jan Koller, Jacques Abardonado, Michael Kammermeyer.
Saíram – Joshua Kennedy, Chhunly Pagenburg, Dario Vidosic.

Topo