Basel e Brann revivem passado

A reedição de uma eliminatória da Taça UEFA de há sete anos estará na mente de muitos, quando Basileia e Brann se defrontarem.

Benjamin Huggel (à direita) já defrontou o Brann anteriormente
Benjamin Huggel (à direita) já defrontou o Brann anteriormente ©Getty Images

Uma reedição de uma eliminatória da Taça UEFA de há sete anos estará na mente de muitos, quando o FC Basel 1893 receber o SK Brann, numa altura em que os dois conjuntos precisam de um ponto para selar o apuramento.

• As duas equipas defrontaram-se na primeira eliminatória da Taça UEFA de 2000/01, numa ronda recheada de golos, com os suíços a levarem a melhor, por 7-6, no conjunto das duas mãos.

• Na primeira mão, Feliciano Magro e Jean-Michel Tchouga, por duas vezes, deram a liderança ao Basileia, mas Per-Ove Ludvigsen e Thorstein empataram para o Brann. Olivier Kreuzer assinou o golo da vitória, com uma grande penalidade, aos 86 minutos, que valeu o triunfo dos suíços.

• Na segunda mão, o Brann assumiu as rédeas do encontro, com golos madrugadores do ex-benfiquista Azar Karadas e Geirmund Brendesaeter. Tchouga reduziu, para o Basileia, mas o jogo estava já em 4-1 ao intervalo, com tentos de Sergei Terehhov e de novo Karadas.

• No entanto, a segunda parte foi má para a formação de Bergen, pois um golo de Roy Wassberg na própria baliza e outro de Kreuzer, de penalty, colocaram o Basileia em vantagem na eliminatória, antes de André Muff selar a qualificação.

• O treinador do Basileia, Christian Gross, orientou os dois encontros, ao passo que o médio Benjamin Huggel, presente nas duas mãos, está de regresso ao clube, após dois anos no Eintracht Frankfurt. Ivan Ergić, que esteve no banco nas duas partidas, continua no emblema helvético.

• O treinador do Brann, Mons Ivar Mjelde, ainda era jogador em 2000, e alinhou na segunda mão, depois de ter sido suplente não utilizado na primeira.

• Os autores dos golos do Brann, Karadas e Helstad, também regressaram ao conjunto. Karadas havia saído em 2002 para o Rosenborg BK, tendo ainda representado o Benfica, Portsmouth FC e FC Kaiserslautern, antes de regressar a Bergen, no início deste ano. Helstad voltou ao Brann em 2006, após ter saído em 2002, para representar o FK Austria Wien e, mais tarde, o Rosenborg.

• O Basileia efectuou três jogos perante adversários noruegueses, incluindo os dois como o Brann. Uma vitória, por 4-3, sobre o Tromsø IL, na fase de grupos da Taça UEFA de 2005/06, faz com que tenha saído 100 por cento vitorioso nos confrontos em casa.

• Contando com os jogos com o Basileia, o Brann efectuou quatro partidas contra oposição suíça, tendo perdido os dois embates disputados no país alpino, e venceu e empatou os encontros em casa.

• O Basileia bateu o Stade Rennais FC, por 1-0, no jogo de inaugural, tendo depois empatado sem golos com o NK Dinamo Zagreb. O clube suíço não perde em casa há 12 jogos a contar para as competições europeias.

• O Brann perdeu em casa, 1-0, com o Hamburger SV, no primeiro jogo, tendo depois empatado (1-1) em Rennes, e bateu o Dínamo, por 2-1, em casa. Não perdeu os últimos seis jogos das competições europeias disputados fora de portas, com quatro vitórias e dois empates.

• O defesa do Brann, Hassan El-Fakiri, cumpre o segundo de dois jogos de castigo, após ter sido expulso perante o Rennes.

• O Basileia já efectuou a primeira contratação de Inverno, garantindo os serviços do internacional suíço Sub-21, Beg Ferati, oriundo do FC Concordia Basel, clube que deixará quando reabrir o mercado.

• O Dínamo recebe o Hamburgo no outro jogo do Grupo D, na quarta-feira.

Topo