Armada gaulesa entra em grande

Quatro vitórias e dois empates é o saldo das seis equipas francesas que esta quinta-fera entraram em acção na Taça UEFA.

A França, o país com mais representantes na Taça UEFA, conseguiu um saldo positivo na primeira mão da primeira eliminatória da prova, com os seis clubes gauleses em acção nesta quinta-feira a alcançarem quatro vitórias e dois empates.

Armada francesa
O AJ Auxerre, vencedor da Taça de França, o RC Strasbourg e o Stade Rennais, vencedor e finalista vencido da Taça da Liga, respectivamente, alcançaram a qualificação directa para esta primeira ronda. O Olympique de Marseille e o RC Lens chegaram à prova via Taça Intertoto, enquanto o AS Monaco foi o último clube a qualificar-se para esta fase, após ter sido eliminado pelo Real Betis Balompié na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League. É com este contingente de equipas que a França vai tentar conquistar, pela primeira vez, a Taça UEFA.

Vitória monegasca
Depois da desilusão de não se ter qualificado para a Liga dos Campeões, prova na qual foi finalista vencido em 2004 ante o FC Porto, o Mónaco entrou na Taça UEFA com o firme propósito de chegar à final de Eindhoven. Os monegascos entraram com o pé direito na competição, batendo em casa o Willem II, por 2-0, com golos de Oliver Kapo e Emmanuel Adebayor. A vitória da formação monegasca apenas peca por escassa, tantas foram as oportunidades desperdiçadas.

Marselha empata
Curiosamente, no ano em que o Mónaco perdeu com o FC Porto, o Marselha saiu derrotado da final da Taça UEFA ante o Valencia CF, depois de já ter perdido outro jogo decisivo frente ao Parma FC, cinco anos antes. Esta quinta-feira, os marselheses visitaram o detentor da Taça da Bélgica, o KFC Germinal Beerschot, e, num terreno totalmente alagado, conseguiram um empate a zero. Apesar das péssimas condições do relvado terem prejudicado as duas equipas, o Marselha ainda conseguiu criar bastantes oportunidades, mas Christian Giménez, Andrés Mendoza e Wilson Oruma não conseguiram encontrar o melhor caminho para a baliza belga. O médio português do Marselha, Delfim, esteve ausente da partida.

Estreia vitoriosa do Rennes
Já o Rennes, orientado por Lazslo Boloni, teve uma excelente estreia nas competições europeias, vencendo os espanhóis do CA Osasuna, por 3-1. A formação gaulesa aproveitou o facto de jogar em casa e aos 26 minutos adiantou-se no marcador com um golo de Alexander Frei. O avançado suíço foi a estrela do encontro, voltando a colocar os gauleses em vantagem depois de Savo Milošević ter restabelecido o empate aos 49 minutos. O futebol de ataque do Rennes teve o merecido prémio a sete minutos do final, quando Youssouf Hadji assinou o 3-1 final, ainda antes do guarda-redes do Osasuna, Juantxo Elía Vallejo, ver o cartão vermelho.

Estrasburgo em grande
O Estrasburgo foi, ainda assim, a equipa que melhor resultado conseguiu nesta primeira mão, vencendo na Áustria o Grazer AK, por 2-0. Mikaël Pagis abriu o marcador logo no primeiro minuto do encontro, com Guillaume Lacour a ampliar a vantagem mesmo sobre o intervalo. Esta vitória vai, certamente, moralizar a equipa gaulesa, que ocupa um dos últimos postos da Ligue 1, tendo conquistado apenas três pontos nos seis primeiros jogos.

Auxerre em cima da hora
Já o Auxerre sofreu para vencer, em casa, o PFC Levski Sofia, o detentor da Taça da Bulgária, triunfando por um resultado (2-1) que pode ser perigoso para a segunda mão. Os golos, na segunda parte, de Romain Poyet e Luigi Pieroni garantiram a vitória, mas o tento do avançado francês do Levski Sofia, Cédric Bardon, deixa tudo em aberto.

Lens com poucas razões para sorrir
Tal como o Marselha, também o Lens, que se apurou via Taça Intertoto, não conseguiu melhor do que um empate nesta primeira mão. A jogar em casa, a formação gaulesa foi surpreendida pelo Groclin Grodzisk Wielkopolski, muito embora se tenha adiantado no marcador logo aos 12 minutos, por intermédio de Vitorino Hilton. Mas os polacos empataram no minuto seguinte graças a um golo de Piotr Rocki, que deixa o Lens, que esta época comemora o seu centenário, com poucas razões para sorrir.

Topo