Mariano sobre o Real Madrid, a ida para o Lyon e o sonho da Europa League

Mariano Díaz, a realizar uma excelente época de estreia no Lyon, fala da passagem pelo Real Madrid, do que aí aprendeu com Cristiano Ronaldo e Benzema, e do sonho da turma gaulesa em jogar em casa a final da Europa League.

Mariano Díaz está encantado com os seus primeiros tempos no Lyon
Mariano Díaz está encantado com os seus primeiros tempos no Lyon ©AFP/Getty Images

Vindo dos escalões de formação do Real Madrid, por quem disputou vários jogos pela equipa principal na temporada passada, Mariano Díaz está a realizar uma excelente temporada de estreia no Olympique Lyonnais, somando já 14 golos em 30 jogos pela formação gaulesa.

Em entrevista exclusiva ao UEFA.com, o avançado nascido na República Dominicana, que leva 16 golos em 30 jogos pelo Lyon, falou dos tempos vividos no Real Madrid, do que aí aprendeu ao ter jogado ao lado de ídolos como Benzema e Cristiano Ronaldo, da adaptação ao futebol francês, do embate dos 16 avos-de-final da UEFA Europa League com o Villarreal e do sonho do clube em chegar à final da prova, que será jogada no seu estádio. 

Os tempos no Real Madrid

A minha passagem pelo Real Madrid foi muito boa. Cresci muito lá, quer como futebolista, quer como pessoa. Permitiu-me chegar ao futebol de elite, jogar num grande clube e trabalhar com um treinador como Zidane, um belíssimo técnico que me ajudou muito. Promoveu-me à equipa principal e estar-lhe-ei para sempre agradecido.

Tive oportunidade de aprender muitas coisas com Benzema e Cristiano, dois avançados extraordinários, que sabem muito e têm faro pelo golo. Em cada treino, em cada detalhe, pude aprender sempre algo com eles. É um orgulho ter jogado com eles.

Chegada ao Lyon

Já conhecia o clube. Vi-o jogar várias vezes na Champions League e pareceu-me sempre uma equipa que pratica um bom futebol. E é a praticar bom futebol que se ganham títulos. Claro que sinto alguma pressão, porque estou aqui para ocupar o lugar de um jogador como Lacazzette, que marcou muitos golos e deixou bem vincada a sua marca no clube. Mas essa pressão tem-me ajudado a superar-me a mim mesmo, de forma a não defraudar as expectativas.

A Europa League e o embate com o Villarreal

É uma competição muito complicada. Nela participam grandes equipas de toda a Europa. Mas vamos lutar para chegar o mais longe possível. O Villarreal não está a ter esta época resultados tão bons como na temporada passada, mas é sempre uma equipa perigosa, que joga bem, e este ano até já venceu no Santiago Bernabéu. Vamos lutar, tentar ser nós a ter mais bola e procurar vencer este jogo e a eliminatória. Temos um grande estádio, novo, e queremos jogar lá a final desta competição. O ambiente é fantástico, sente-se muito de perto o apoio dos adeptos.

O tridente Fekir-Mariano-Memphis

Fekir é um grandíssimo jogador, que remata bem e tem uma capacidade ímpar de finalizar os lances. Além disso, é o nosso capitão. E o Memphis também é muito bom. Têm, ambos, uma enorme qualidade técnica e podem fazer a diferença em qualquer momento de um jogo. Os números desta temporada comprovam-nos. Mas creio que a força da nossa equipa reside no coletivo. Remamos todos na mesma direcção e isso é o mais importante.

Topo