Pulišić sobre o Dortmund, as aulas de alemão e a #UEL

"Vir para aqui sem saber falar uma palavra de alemão foi uma experiência diferente", explicou Christian Pulišić, extremo norte-americano do Dortmund que não teve dificuldades de adaptação ao futebol europeu.

Christian Pulišić tem grandes ambições na UEFA Europa League com o Dortmund
Christian Pulišić tem grandes ambições na UEFA Europa League com o Dortmund ©Getty Images

O jovem Christian Pulišić trocou a Pensilvânia natal pela Europa de forma a concretizar o sonho no futebol. Nem a barreira da língua impediu o médio-atacante de se afirmar na equipa principal do Dortmund. O norte-americano conta as suas aventuras na primeira pessoa.

Sobre as hipóteses do Dortmund na UEFA Europa League


Queremos ganhar a Europa League. Queremos mostrar que podemos ser a melhor equipa em prova. Penso que entramos com esta atitude em todos os desafios. Vamos jogar com a Atalanta, que já defrontámos na pré-época e que nos provocou problemas [A Atalanta ganhou 1-0 em Altach, Áustria]. Espero um adversário forte defensivamente. Vai-nos criar dificuldades em todos os detalhes e teremos de lutar muito se quisermos seguir em frente.

Sobre a aprendizagem do futebol na Pensilvânia

O jovem de 19 anos já tem 20 internacionalizações pelos EUA
O jovem de 19 anos já tem 20 internacionalizações pelos EUA©Getty Images

Sempre estive ligado ao futebol. Os meus pais [Mark e Kelly Pulišić] foram ambos jogadores. Foram eles que me levaram para o futebol, mas não me pressionaram de nenhuma forma para jogar. Sempre quiseram que me sentisse feliz. Joguei sempre contra jogadores maiores que eu. Sempre fui um rapaz pequeno, era sempre o mais pequeno no campo. Tinha de pensar muito mais rapidamente e recorrer à minha técnica para me impor em campo, não podia impor o físico, foi isso que me tornou um jogador mais inteligente.

A chegada ao Dortmund em 2015


Foi uma oportunidade que não podia recusar. Conhecia a história do clube e a tradição que o Dortmund tem na formação de jovens jogadores. Estava com receio de vir para a Europa, ir para um país estrangeiro, sabia que não seria fácil. Tinha a noção que iria ter saudades de casa, algo que continuo a sentir, mas era algo que tinha de fazer se quisesse atingir o meu grande objetivo. Vir para aqui sem saber falar uma palavra de alemão foi uma experiência diferente.

O primeiro treino com a equipa sénior no início de 2016

Pulišić depois de ganhar a Taça da Alemanha com o Dortmund
Pulišić depois de ganhar a Taça da Alemanha com o Dortmund©Getty Images

Nunca irei esquecer esse dia. Estava na escola, penso que foi o meu pai que me enviou uma mensagem escrita porque soube primeiro que eu ia treinar naquele dia com a equipa principal. Fiquei muito animado e ansioso. Tentei manter-me calmo, foi um dia maravilhoso. Entrar no campo e ver o Marco Reus e o Pierre-Emerick Aubameyang, ser desarmado pelo Mats Hummels, ao início foi um choque, mas foi muito bom.

Viver em Dortmund

É a minha segunda casa. É onde moro, praticamente, o ano todo. Quando estou aqui no meu apartamento, sinto-me em casa. As minhas ambições neste clube? Quero continuar a ganhar o meu lugar na equipa todos os fins-de-semana, jogar sempre, evitar lesões e fazer uma excelente época. Se conseguir tudo isto pessoalmente, penso que a equipa também terá sucesso.

Topo