Reviravolta em Florença dá apuramento ao Mönchengladbach

A Fiorentina teve dois golos de vantagem e parecia ter a qualificação garantida, mas o Mönchengladbach marcou quatro tentos seguidos fora de casa e conquistou uma vaga nos oitavos-de-final.

See how a 12-minute hat-trick by Lars Stindl helped Mönchengladbach come back from 3-0 down to win 4-3 on aggregate.

A Fiorentina esteve a vencer na primeira parte, com golos de Nikola Kalinić e Borja Valero, e com uma vantagem de 3-0 na eliminatória parecia ter a qualificação garantida. O Borussia Mönchengladbach não baixou os braços e marcou quatro golos sem resposta, com um "hat-trick" de Lars Stindl e um cabeceamento de Andreas Christensen, garantindo de forma sensacional uma vaga nos oitavos-de-final.

Os visitantes entraram ao ataque, determinados em anular a desvantagem tangencial da primeira mão, e logo aos sete minutos, Patrick Herrmann cruzou da direita e Jannik Vestergaard surgiu a cabecear ao ferro da baliza italiana.

A equipa de Paulo Sousa marcou na primeira oportunidade. Aos 15 minutos, Federico Bernardeschi recuperou a bola e conduziu-a durante quase meio-campo, fazendo depois a assistência para o quinto golo de Kalinić na prova. Yann Sommer brilhou na baliza do Mönchengladbach aos 23 minutos, quando negou o golo a Federico Chiesa e a Federico Bernardeschi.

Os alemães buscavam o empate, e Mahmoud Dahoud rematou por alto quando estava em boa posição na área italiana. A Fiorentina aumentou a vantagem aos 29 minutos, quando Vestergaard escorregou de forma incrível e deixou a bola ao dispor de Valero, que não hipóteses a Sommer.

Josip Drmic surgiu isolado frente a Ciprian Tătăruşanu aos 42 minutos, e o guarda-redes da Fiorentina evitou o golo, mas na jogada que se seguiu o árbitro português Artur Soares Dias assinalou grande penalidade devido a um empurrão na área. Stindl não perdeu a oportunidade de reduzir para os alemães e deixou o marcador em 2-1 ao intervalo.

O capitão não arrefeceu com o intervalo e empatou o jogo aos 47 minutos, quando foi o mais lúcido numa jogada confusa na área italiana. Stindl não estava satisfeito e aos 55 minutos recebeu a bola de um livre de Jonas Hofmann à entrada da área e rematou forte, fora do alcance de Tătăruşanu. Estava consumada uma sensacional reviravolta da equipa de Dieter-Klaus Hecking.

O Stadio Artemio Franchi estava em estado de choque e pior ficou à passagem da hora de jogo, quando Jonas Hofmann marcou um pontapé de canto e o defesa-central Christensen surgiu a cabecear imparável para o 4-2. A Fiorentina tinha de marcar dois golos e Paulo Sousa apostou em Josip Iličić. O esloveno ficou perto de marcar aos 67 minutos, mas o ferro da baliza e um belo voo de Sommer neutralizaram a última jogada de perigo do encontro.

Topo