Fenerbahçe encantado com Sow

"Ele é muito batalhador", afirmou Dick Advocaat de Moussa Sow, cujo golo marcado num pontapé de bicicleta contra o United constitui mais uma razão para os adeptos do Fenerbahçe adorarem o jogador de 30 anos.

Moussa Sow marca o espectacular golo de abertura ao United
Moussa Sow marca o espectacular golo de abertura ao United ©AFP/Getty Images

Ele tem os seus altos e baixos, períodos sem marcar e uma concorrência feroz dos seus colegas atacantes, mas os adeptos do Fenerbahçe tiveram sempre um fraquinho por Moussa Sow e no triunfo por 2-1 sobre o Manchester United para a UEFA Europa League retribuiu com estilo a confiança depositada.

Apenas decorridos 65 segundos de jogo, Sow fez um acrobático pontapé de bicicleta que bateu David De Gea – candidato a golo do ano, mas não estranho para Sow, que já fez tentos semelhantes aos rivais da cidade Galatasaray e Beşiktaş. “Sow não marca golos normais”, é uma frase bem conhecida no futebol turco.

Não estava previsto que o jogador de 30 anos fosse titular diante do United, com Robin van Persie a marcar por três vezes e a assistir para outro nos últimos três jogos oficiais e estando Emmanuel Emenike numa boa fase na competição europeia. Em contraponto, Sow havia marcado apenas numa ocasião nos últimos oito jogos pelo Fenerbahçe desde que regressara ao clube de um empréstimo do emblema do Dubai, o Al Ahli.

Veja o golo deslumbrante de Sow ao United
Veja o golo deslumbrante de Sow ao United

O UEFA.com perguntou a Dick Advocaat qual era a missão de Sow frente ao United e o treinador do Fenerbahçe sorriu e simplesmente respondeu: “Marcar um golo.”

E acrescentou: “Da forma como jogámos esta noite, ele batalhou muito para conseguirmos um bom resultado. Estou muito contente pela equipa por ele o ter conseguido.”

Sow chegou à Turquia no decorrer da época 2011/12, marcando oito golos em 14 jogos nessa primeira temporada. Nas épocas que se seguiram foi emprestado, mas acabou por conseguir manter um lugar no plantel, apesar da concorrência de jogadores como Dirk Kuyt, Alex, Pierre Webó, Van Persie e Emenike.

Isso é especialmente verdade na Turquia, e os adeptos turcos gostam de jogadores emotivos. No final do jogo, a assistência presente no Şükrü Saracoğlu fez a equipa regressar ao centro do relvado para uma ovação das bancadas, mas apenas um nome se ouviu cantar: "Moussa, Moussa!”. E foi merecido, em parte pelos inesquecíveis 90 minutos contra o United mas também pela sua paixão pelo clube.

Topo