Temas de conversa da primeira mão dos "oitavos" da Europa League

David de Gea evitou males maiores ao United, Marco Reus mostrou toda a sua classe, o Shakhtar partilhou os seus golos e o Sevilha segue na senda da revalidação do troféu.

David de Gea limitou os estragos no Manchester United
David de Gea limitou os estragos no Manchester United ©AFP/Getty Images

De Gea mantém United vivo
O Liverpool estará certamente satisfeito com a vitória sobre o velho rival Manchester United por 2-0 na primeira mão, mas ainda nada está garantido. E, se assim, é, tal deve-se, em grande parte, à actuação do guarda-redes do United, David de Gea. Com uma série de defesas impressionantes, o guardião espanhol manteve a sua equipa na luta por um lugar nos quartos-de-final.

Villarreal com bases sólidas
Foi a quinta vitória da turma espanhola em cinco jogos em casa na presente edição da prova e o seu quinto jogo sem sofrer golos. E o "onze" que o treinador Marcelino lança em campo – apenas Víctor Ruiz esteve em todos os jogos europeus da equipa esta época – parece não fazer diferença. O Leverkusen bem tentou, mas foi incapaz de derrubar a fortaleza do "submarino amarelo". Marcar-lhe dois golos na próxima semana não será fácil.

A qualidade de Reus
Depois de ter marcado frente ao Porto na ronda anterior, Marco Reus bisou agora na vitória por 3-0 do Dortmund sobre o Tottenham Hotspur que deixou a turma de Thomas Tuchel com um pé nos quartos-de-final. E ambos os golos do internacional alemão de 26 anos foram plenos de técnica, o primeiro com um remate de primeira sem hipóteses de defesa para Hugo Lloris e o segundo a finalizar um excelente movimento colectivo. "O melhor foi ter conseguido ajudar a equipa", disse.

Alex Teixeira? Quem é?
Pensou-se que a saída de Alex Teixeira (autor de 25 na primeira metade da época) fosse afectar o poder de fogo do Shakhtar, mas o efeito parece ter sido o oposto. Nos cinco jogos que disputou em 2016 a formação de Donnetsk marcou 13 golos, divididos por oito jogadores. A ausência daquele que era o seu principal goleador trouxe uma nova dimensão ao jogo da equipa, com o Anderlecht descobriu.

Sevilha na senda da terceira
O Sevilha mostrou-se confortável em Basileia, onde chegou vindo de quatro derrotas nos últimos quatro jogos fora na Europa. O nulo constitui um passo em frente rumo ao sonho de erguer o troféu da UEFA Europa League pela terceira vez consecutiva, mas as hipóteses do Basileia na segunda mão não devem ser desvalorizadas: a turma suíça perdeu apenas um dos seis jogos que já disputou fora na Europa em 2015/16, tendo marcado em todos eles, e estará motivada com a perspectiva de jogar a final em casa.

Lazio mostra classe
A atravessar um mau momento a nível interno, temia-se que uma derrota da Lázio no terreno do Sparta Praha levasse a mexidas na estrutura técnica da equipa. Mas a turma da capital italiana mostrou classe e soube reagir depois de se ver a perder, conseguindo um empate diante de uma equipa que vinha de quatro vitórias seguidas na competição. Muito segura a jogar em casa na Europa esta época, a Lázio pode mesmo sonhar com a vitória na UEFA Europa League e, consequentemente, com um lugar na UEFA Champions League na próxima época.

Topo