Decisões disciplinares mostram postura antiracismo

O Comité de Controlo e Disciplina da UEFA anunciou sanções contra o Honvéd, o Lech Poznań e o Piast na sequência das pré-eliminatórias da UEFA Europa League.

Budapest Honvéd, Lech e Piast Gliwice foram punidos
Budapest Honvéd, Lech e Piast Gliwice foram punidos ©UEFA.com

O Comité de Controlo e Disciplina da UEFA (CDB) proferiu as seguintes decisões na sequência dos recentes casos ocorridos em partidas da UEFA Europa League:

FK Vojvodina - Budapest Honvéd FC, primeira mão da segunda pré-eliminatória da UEFA Europa League (18/07/13)

O Budapest Honvéd foi punido pela conduta imprópria dos seus adeptos (artigo 14DR) – comportamento racista e cânticos racistas. A equipa húngara terá de cumprir o seu próximo jogo à porta fechada. O Comité de Controlo e Disciplina decidiu ainda revogar a decisão de suspensão aplicada ao Honvéd, conforme foi determinado pelo CDB na reunião de 22 de Agosto de 2008, de obrigar o clube a jogar uma partida das competições europeias à porta fechada. O CDB impôs ao Honvéd uma segunda partida à porta fechada e ainda uma multa pecuniária de 50 mil euros. 

KKS Lech Poznań - VMFD Žalgiris, segunda mão da terceira pré-eliminatória da UEFA Europa League (08/08/13)

O Lech Poznań foi punido por comportamento incorrecto dos seus adeptos (Artigo 14DR) – comportamento racista e exibição de bandeira racista. Fica obrigado ao encerramento parcial do estádio do Lech, em particular a bancada onde fica a claque polaca Ultras, no decurso das próximas partidas da UEFA na qualidade de anfitrião. O Lech foi ainda multado em 5 mil euros. 

GKS Piast Gliwice - Qarabağ FK, segunda mão da segunda pré-eliminatória da UEFA Europa League (25/07/13)

O Piast foi punido por conduta impropria dos seus adeptos (Artigo 14DR) - comportamento racista e exibição de bandeira racista. Fica obrigado ao encerramento parcial do estádio do Piast, em particular a que alberga a claque polaca Ultras, no decurso das próximas partidas da UEFA na qualidade de anfitrião. O Piast foi ainda multado em 5 mil euros.

A luta contra o racismo é uma prioridade para a UEFA. O órgão que tutela o futebol europeu assumiu uma política de tolerância zero contra o racismo e a descriminação no relvado e nas bancadas. Todas as formas de comportamento racista considerados ofensas sérias ao regulamento disciplinar serão alvo de sanções severas.  

Topo