Duckadam recorda glória do Steaua

Helmut Duckadam recorda o seu papel na vitória do Steaua na final da Taça dos Campeões de 1986 e espera que a paixão dos adeptos possa inspirar a antiga equipa a alcançar mais sucessos.

Helmuth Duckadam festeja a conquista da Taça dos Campeões ao serviço do Steaua
Helmuth Duckadam festeja a conquista da Taça dos Campeões ao serviço do Steaua ©Getty Images

O lugar de Helmut Duckadam na história do futebol romeno ficou garantido após manter a calma, quando todos à sua volta a perderam, na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1985/86.

Após um empate a zero com o FC Barcelona no final de 120 minutos, o Steaua falhou os seus dois primeiros penalties, mas ainda assim ganhou por 2-0. O guarda-redes Duckadam não se cansa de recordar o papel que desempenhou nessa partida.

"Limitei-me a colocar na pele do marcador", disse o antigo jogador, de 53 anos, ao UEFA.com. "Foi um jogo de lógica. Depois de ter defendido o  penalty do Alexanko, pensei: 'Se um guarda-redes tivesse defendido para a direita, o que faria agora?' Geralmente o guarda-redes muda para a esquerda, por isso atirei-me para a direita. E isso ficou bem explícito no terceiro penalty, em que tinha 100 por cento de certeza que o Pichi Alonso também ia rematar para a direita. Isso era o mais lógico após duas defesas do guarda-redes para o mesmo lado."

Também não esqueceu a recepção de que a sua equipa foi alvo na capital romena. "Mais de 15.000 pessoas estavam à nossa espera no aeroporto de Otopeni", disse Duckadam, actual presidente do Steaua. "Depois, no caminho até ao estádio, estavam dezenas de milhares de pessoas a aplaudir-nos. Foi um ambiente fantástico, algo que só se vive uma vez na vida."

Duckadam espera que o Steaua possa viver algo semelhante, à partida para a segunda mão da UEFA Europa League, fora, frente ao Celsea FC, com um golo de vantagem. No entanto, o seu principal objectivo é outro. "Queremos ganhar o campeonato, algo que não acontece desde 2005/06", disse.

Disputar os jogos das competições europeias na National Arena tem sido um verdadeiro incentivo para a equipa de Laurenţiu Reghecampf. "É bem diferente jogar diante de 50.000 espectadores", disse Duckadam. "Acredito que o público teve um contributo significativo na nossa caminhada até esta fase", concluiu.

Topo