Falcao voa mais alto no triunfo do Atlético

Club Atlético de Madrid 3-0 Athletic Club
Marcador do único golo na final da época passada, Falcao fez melhor em Bucareste e bisou no triunfo dos "colchoneros".

Falcao comemora o seu segundo golo da noite
Falcao comemora o seu segundo golo da noite ©Getty Images

O Club Atlético de Madrid venceu a sua segunda UEFA Europa League em três anos, ao derrotar, na final realizada na Arena Nacional de Bucareste, o Athletic Club, por expressivos 3-0, numa partida em que Radamel Falcao voltou a decidir, tal como o fizera, há um ano, em Dublin, pelo FC Porto, frente ao Sp. Braga.

O Atlético teve um começo de sonho nesta final com um grande golo de Falcao logo aos sete minutos, proeza repetida aos 33. Já ao cair do pano, Diego selou definitivamente o destino da UEFA Europa League, apontando o terceiro dos "colchoneros".

Antes ainda do tento madrugador, logo aos dois minutos, Adrián López deu o aviso, cabeceando ao lado, a cruzamento de Arda Turan. Contudo, cinco minutos depois, os de Madrid chegaram mesmo à vantagem, num lance em que Falcao fez tudo sozinho.

O colombiano recebeu, no lado direito da área, um passe de Diego, encarou Fernando Amorebieta, tirando-o do caminho com uma finta, e rematou em arco de pé esquerdo, colocando a bola ao ângulo mais distante, tornando-se, pela segunda época consecutiva, no melhor marcador da UEFA Europa League.

O Athletic só então conseguiu chegar com perigo até à área do Atlético e, aos dez minutos, Fernando Llorente teve um cabeceamento ao lado, oito minutos antes de emendar um cruzamento de direito de Andoni Iraola com um remate de primeira ao lado. Só aos 23 minutos Iker Muniain obrigou Thibaut Courtois à sua primeira defesa no encontro, com um forte disparo de fora da área.

A confirmar o seu estatuto de goleador-mor da edição, Falcao, que na época passada havia decidido para o FC Porto a final de Dublin, viria a deixar tudo praticamente definido aos 34 minutos, com o 29º golo em 29 partidas da UEFA Europa League. Arda Turan cruzou do lado esquerdo para a entrada da pequena área, onde Falcao recebeu a bola, rodou sobre si próprio deixando Jon Aurtenetxe por terra e rematou de pé esquerdo, sem defesa para Iraizoz.

Já sobre o intervalo, Falcao teve oportunidade para chegar ao "hat-trick", mas o remate em arco, desta vez, saiu por cima, numa altura em que voltava a surgir sozinho na área.

O Athletic entrou para a segunda parte com duas substituições, tentando reequilibrar as operações a meio-campo, só que não conseguiu reduzir a diferença, muito por culpa de Llorente, que esteve particularmente desinspirado, conforme se notou no lance aos 70 minutos, quando falhou o tempo de salto, permitindo ainda assim que Ibai Gómez rematasse por cima.

Os "leones" bascos continuaram a carregar e, três minutos depois, Óscar de Marcos também rematou por cima. Seguiram-se, aos 76 e 79 minutos, boas ocasiões para Markel Susaeta que, primeiro, rematou contra um contrário e, depois, em plena área, disparou para defesa de Courtois.

Nos únicos lances de perigo do Atlético na segunda parte, aos 80 minutos, Falcao voltou a estar perto de marcar, mas o seu remate tabelou em Amorebieta e a bola embateu no poste. No entanto, a noite já era sua. Um ano após Dublin, o colombiano voltava a ser o rei da UEFA Europa League. Levantou a taça e conquistou o título de melhor marcador.

Aos 85 minutos, outro ex-jogador do FC Porto, Diego, acabou com as dúvidas que ainda pudessem existir, passando tranquilamente por Amorebieta antes de bater Iraizoz com um remate cruzado de pé esquerdo, ao poste mais distante.

 

Topo