Falcao leva FC Porto à glória em Dublin

FC Porto 1-0 Sp. Braga Os "dragões" conquistaram a UEFA Europa League graças ao golo solitário de Radamel Falcao.

O UEFA.com recorda os principais momentos da semana da final da UEFA Europa League, com uma visita à Dublin Arena antes do jogo, uma abordagem ao goleador Falcao e uma análise ao encontro.

O FC Porto conquistou a UEFA Europa League 2010/11, ao bater na final o Sp. Braga em Dublin, por 1-0. Naquela que foi a primeira final europeia entre dois emblemas portugueses, Radamel Falcao acabou por ser o herói dos portistas, ao apontar o golo da vitória a um minuto do descanso. 

Perante uma moldura humana claramente favorável, os portistas entraram no jogo decididos em controlar as operações desde cedo, com os bracarenses especialmente atentos às movimentações ofensivas do adversário. Ainda assim, Custódio foi o primeiro a criar perigo junto da baliza de Helton, aos quatro minutos. O centrocampista ganhou espaço nas costas da defensiva "azul-e-branca" mas rematou ao lado.

Contudo, aos seis minutos, o FC Porto esteve perto de inaugurar o marcador, por intermédio de Hulk. O extremo brasileiro ganhou no duelo com Sílvio e rematou pleno de intenção. A bola saiu muito perto do poste direito da baliza de Artur.

Com os dois conjuntos a revelarem cautelas redobradas, a partida passou por um período menos interessante, numa fase em que ninguém parecia apostado em arriscar. À excepção dos lances de bola parada, não se registaram muitas oportunidades de golo no primeiro tempo. Ainda assim, Silvestre Varela desperdiçou uma boa ocasião à passagem da meia-hora, após cruzamento de Fredy Guarín. O extremo do FC Porto cabeceou com intenção, mas o esférico não levou a melhor direcção.

Tudo dava a entender que a primeira parte iria terminar sem golos mas aos 44 minutos Radamel Falcao decidiu dar um "abanão" na partida, ao apontar de cabeça o 17º golo na competição. Guarín efectuou o cruzamento do lado direito e o avançado portista, nas costas de Paulão, atirou a contar. 

No segundo tempo, Domingos Paciência lançou Mossoró no ataque, para o lugar de Hugo Viana, ao passo que Alberto Rodríguez deu o lugar a Kaká. O FC Porto entrou com o mesmo "onze". À procura do empate, os "arsenalistas" desperdiçaram uma ocasião soberana por intermédio de Mossoró, logo aos 46 minutos. Na "cara" de Helton, o avançado brasileiro permitiu a defesa com o pé do guardião portista.

Com o desafio sob controlo, os "dragões" privilegiaram a posse de bola, numa fase em que os minhotos não revelavam argumentos para chegar à igualdade. Sem imprimir muita velocidade ao jogo, os comandados de André Villas-Boas souberam guardar a bola no momento certo, ao mesmo tempo que não davam espaços aos bracarenses.

O Sp. Braga esforçou-se por chegar à igualdade mas os homens de Domingos Paciência não conseguiram criar lances de golo na ponta final, sendo mesmo o recém-entrado Belluschi a criar uma boa oportunidade para o FC Porto, aos 86 minutos. Os portistas reclamaram assim a conquista do quarto troféu nas provas da UEFA.

Topo