O "site" oficial do futebol europeu

A UEFA Europa League 2010/11 de A a Z

Publicado: Terça-feira, 17 de Maio de 2011, 18.59CET
Com mais uma edição da UEFA Europa League terminada, o UEFA.com lembra o que mais despertou a atenção neste A a Z da competição, cujo início remonta a 1 de Julho, com destaque para o FC Porto.
A UEFA Europa League 2010/11 de A a Z
Falcao marcou o golo do FC Porto ©Getty Images
 
Publicado: Terça-feira, 17 de Maio de 2011, 18.59CET

A UEFA Europa League 2010/11 de A a Z

Com mais uma edição da UEFA Europa League terminada, o UEFA.com lembra o que mais despertou a atenção neste A a Z da competição, cujo início remonta a 1 de Julho, com destaque para o FC Porto.

Atlético − Acabou por ser uma época para esquecer para os anteriores detentores do troféu, sendo que a sua defesa do título durou muito pouco para além do sucesso de Hamburgo, onde os "colchoneros" se impuseram ao Fulham FC. A equipa madrilena nunca recuperou da derrota sofrida logo na primeira jornada, no terreno do Aris Thessaloniki FC, e um desaire caseiro, por 3-2, na recepção aos gregos, na quinta jornada, ditou praticamente a sua eliminação prematura. O Atlético necessitaria de derrotar o vencedor da "poule", Bayer 04 Leverkusen, e esperar que o Aris, invicto em casa nas competições europeias há 25 jogos e 40 anos, soçobrasse na recepção ao Rosenborg BK. No entanto, nenhuma das premissas se verificou.

Braga − Pouco se esperava dos minhotos, quando transitaram para a prova provenientes da UEFA Champions League, mas rapidamente trataram de deixar marca indelével da sua valia com a eliminação nos oitavos-de-final do múltiplo campeão europeu Liverpool FC. FC Dynamo Kyiv e Benfica tiveram o mesmo desfecho que os "reds" e eis que, de repente, os "guerreiros do Minho" estavam em Dublin para a final.

Chegados − Pela primeira vez na história das provas da UEFA de clubes, a final disputou-se entre equipas que distavam menos de 50 quilómetros entre si. E com isso se bateu um recorde estabelecido em 1988 por KV Mechelen e PSV Eindhoven. A equipa belga defrontou o vizinho holandês na SuperTaça Europeia, então realizada a duas mãos, tendo o Mechelen vencido por 3-0 em casa, antes de efectuar a viagem de 88,3 quilómetros até à Holanda, onde bateu o então campeão europeu por 1-0 e conquistou o troféu.

Doze assistências − O médio Roman Eremenko, do FC Dynamo Kyiv, lidera a tabela de assistências para golo com seis passes certeiros em 12 partidas. Trata-se de um feito assinalável tendo em conta que a equipa ucraniana foi afastada da prova nos quartos-de-final pelo Sp. Braga. Eremenko esteve particularmente influente na quarta jornada da fase de grupos, ao fazer ambos os passes no triunfo frente ao AZ Alkmaar, por 2-0.

Empates (3-3) − Juventus e KKS Lech Poznań deram início às respectivas participações na fase de grupos com o primeiro dos quatro empates a três bolas registados nesta fase da prova. No entanto, se eram recuperações que o leitor pretendia, então o SSC Napoli é a equipa indicada. O conjunto italiano participou em duas dessas recuperações com empates a três tentos. A primeira aconteceu no reduto do FC Steaua Bucureşti, reduzido a dez elementos, onde perdia por 3-0. No terreno do FC Utrecht, o Nápoles perdia por 3-1, mas Edinson Cavani assinou um "hat-trick". AC Sparta Praha e FC Lausanne-Sport registaram a outra igualdade a três bolas.

Falcao − A caminhada do FC Porto rumo à final de Dublin fez-se sobre as pisadas (leiam-se golos) do ponta-de-lança colombiano, conforme o Villarreal CF, em particular, testemunhou em primeira mão. Os quatro golos apontados no Estádio do Dragão afundaram o "submarino amarelo" logo na primeira mão das meias-finais, naquela que foi a terceira vez que Radamel Falcao marcou três (ou mais) golos nesta campanha europeia, após "hat-tricks" ao SK Rapid Wien (3-1) e FC Spartak Moskva (5-1).

O seu tento na segunda mão frente ao Villarreal − 16º na presente UEFA Europa League − quebrou o recorde de golos de Jürgen Klinsmann numa só época na Taça UEFA ou UEFA Europa League, que durava há 15 anos. E assinou mais um remate certeiro na final frente ao Braga.

Grupo F − O já citado empate entre o Sparta e o Lausanne foi responsável por seis dos 42 golos marcados nessa "poule", o mais concretizador dos grupos. Em média, cada jogo deste agrupamento, ganho pelo PFC CSKA Moskva, e que também incluía o US Città di Palermo, teve 3,5 golos.

"Hat-tricks" − Para além de Falcao, mais seis jogadores saíram de campo com a bola do jogo como prémio. Dos nove "hat-tricks", três foram apontados na primeira jornada: Artjoms Rudņevs (Juventus 3-3 Lech), Patrick Helmes (Bayer 04 Leverkusen 4-0 Rosenborg BK) e Aleksandr Kerzhakov (RSC Anderlecht 1-3 FC Zenit St Petersburg).

Emmanuel Adebayor (Manchester City FC 3-1 Lech), Steven Gerrard (Liverpool FC 3-1 Napoli) e Cavani (Utrecht 3-3 Napoli) foram os autores dos restantes três.

Itália − A derrota do Nápoles frente ao Villarreal nos 16 avos-de-final, por um total de 2-1, significou que, pela primeira vez desde 2007, a Itália não teve representantes nos oitavos-de-final. As outras equipas da Serie A − Juventus, Palermo e UC Sampdoria − não conseguiram passar da fase de grupos.

Juventus − O mal da "vecchia signora" foi a sua tendência para os empates. Com efeito, foi esse o desfecho de todas as seis partidas da fase de grupos. Os "bianconeri" não foram, no entanto, os primeiros a fazê-lo, uma vez que, em 2002/03, o AEK Athens FC conseguiu semelhante feito na primeira fase de grupos da UEFA Champions League.

Karpaty 3-4 Dortmund − Juntamente com o Spartak 2-5 FC Porto, este foi o encontro com mais golos marcados (desde a fase de grupos até à final). No entanto, durante muito tempo parecia que o FC Karpaty Lviv sairia vencedor da partida, principalmente depois de os ucranianos terem virado o encontro de 0-2 para 3-2 à entrada dos derradeiros quatro minutos.

Longos descontos − Cem dos os 551 golos desta UEFA Europa League foram obtidos entre os 76 e 90 minutos. O mais tardio de todos aconteceu por Cavani aos oito minutos do período de descontos no empate 3-3 do Nápoles com o Steaua.

Milevskiy − Artem Milevskiy foi um homem marcado. O atleta do Dínamo, autor de cinco golos, sofreu 46 faltas em 11 partidas, mais oito do que o dianteiro Alan, do Braga.

Norte É a região de Portugal da qual são provenientes ambos os finalistas. De referir ainda que, na próxima época, o Norte de Portugal terá outro representante na prova a juntar aos bracarenses: nem mais nem menos que o maior rival dos "arsenalistas", o Vitória de Guimarães, cuja cidade está separada por somente 25 quilómetros de Braga.

Otamendi − O FC Porto pagou quarto milhões de euros ao CA Velez Sarsfield pelo defesa que marcara presença no Campeonato do Mundo de 2010 pela Argentina, e este retribuiu (para além da eficácia a defender) até com golos. Foram cinco tentos na Liga portuguesa e mais um importante: o 300º dos portistas em jogos oficiais realizados no Estádio do Dragão, no primeiro tento do triunfo por 3-1 sobre o PFC CSKA Sofia na fase de grupos da UEFA Europa League.

Portugal − Um triunfo convincente do FC Porto sobre o Villarreal garantiu a primeira final europeia entre equipas portuguesas de sempre, uma vez que, na outra meia-final, se defrontaram Braga e Benfica. Foi igualmente a primeira vez que três equipas lusitanas chegaram às meias-finais das competições europeias na mesma época.

Quatro - É o número de troféus que o FC Porto poderá ganhar esta época, caso venha a triunfar domingo na final da Taça de Portugal. Depois da SuperTaça portuguesa em Agosto, da Liga e da UEFA Europa League, pelo caminho ficou apenas a Taça da Liga numa temporada inesquecível para os portistas.

República da Irlanda − Este encontro entre FC Porto e Braga marca a estreia da República da Irlanda e, principalmente, da sua capital, Dublin, em finais das principais competições de clubes da UEFA.

Salónica − É a cidade da equipa que há mais tempo mantém o seu reduto invicto nas competições europeias. O Aris Thessaloniki FC pode ter terminado a participação nos 16 avos-de-final frente ao Manchester City FC, mas, pelo menos, aumentou o seu recorde de invencibilidade caseira. Há 40 anos − e 25 jogos de competições de clubes da UEFA − que ninguém derrota o Aris em Salónica e, mais propriamente, no Estádio Kleanthis Vikelidis.

Tauras 3-2 Llanelli − O jogo da segunda mão da primeira pré-eliminatória entre os lituanos do FK Tauras e os galeses do Llanelli FC destacou-se dos demais, não somente por ter sido aquele que teve mais expulsões (três, duas das quais nos visitantes), mas também por ter tido mais cartões amarelos: 14.

Ukra − O jovem extremo foi emprestado ao Braga pelo FC Porto em Janeiro e não pôde representar os bracarenses na UEFA Europa League, em virtude de ter jogado frente ao Genk durante 77 minutos, em jogo que os portistas venceram por 3-0. No entanto, viajou com a comitiva bracarense para Dublin e só será vencedor em caso de triunfo portista.

Villas-Boas − É o treinador do momento em Portugal e tornou-se, em  Dublin, no mais novo técnico a vencer uma prova de clubes da UEFA. Depois de já ter conquistado a Liga portuguesa sem derrotas, tem ainda a possibilidade de terminar a época em grande, no domingo, caso conquiste a Taça de Portugal frente ao Vitória de Guimarães.

Walsh - Mickey Walsh foi, até ao momento, o único jogador irlandês que representou o FC Porto. Passou seis temporadas no Estádio das Antas, tendo deixado os "dragões" no ano anterior à conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Seis das 21 internacionalizações pela República da Irlanda tiveram como palco o estádio de Landsdowne Road, sobre o qual foi construído o recinto da final desta temporada da UEFA Europa League.

Xäzär Länkäran FK − O conjunto do Azerbaijão foi um dos 52 clubes que iniciaram a caminhada até Dublin na primeira pré-eliminatória. Infelizmente para eles, o percurso terminou por aí, uma vez que foram eliminados pelos moldavos do FC Olimpia Balti no desempate por golos marcados fora de casa.

Young Boys em Getafe − Foi dos jogos mais emocionantes da fase de grupos. Os adeptos que se deslocaram ao Coliseum Alfonso Pérez para testemunharem este encontro da última jornada do Grupo H assistiram a extraordinários 22 remates enquadrados com as balizas − mais do que em qualquer outro desafio da prova. Pena foi que apenas se tivesse apontado um golo, por intermédio de Adrián Sardinero, para o Getafe.

Zenit − O vencedor da Taça UEFA de 2008, e no qual alinham os portugueses Fernando Meira, Bruno Alves e Danny, foi o único conjunto a vencer todos os seis jogos realizados na fase de grupos, tendo apontado 18 golos.

Última actualização: 19-05-11 16.44CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/uefaeuropaleague/news/newsid=1632134.html#a+uefa+europa+league+201011+z