O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Factos Wolves - Sevilha

A caminhada do Sevilha em busca do quarto título da UEFA Europa League, um recorde, vai prosseguir nos oitavos-de-final, frente ao estreante Wolverhampton Wanderers.

A caminhada do Sevilha em busca do quarto título da UEFA Europa League, um recorde, continua na cidade alemã de Duisburgo, palco do triunfo sobre a Roma nos oitavos-de-final. O rival por uma vaga nas meias-finais é o estreante Wolverhampton Wanderers.

• O Wolves, na primeira aventura europeia em 39 anos, terminou no segundo lugar do Grupo K com 13 pontos, atrás do Braga. Nos 16 avos-de-final, a equipa de Nuno Espírito Santo conseguiu afastar facilmente (4-0 c, 2-3 f) o Espanhol, também estreante na UEFA Europa League. O duelo com o campeão grego Olympiacos nos oitavos-de-final foi muito mais equilibrado. Uma grande penalidade Raúl Jiménez no Molineux fez a diferença depois do empate 1-1 na Grécia.

• O Sevilha passeou classe no Grupo A no Outono, venceu os primeiros cinco desafios antes de se despedir com uma derrota no terreno do APOEL, que também seguiu em frente. Os espanhóis passaram por dificuldades nos oitavos-de-final, só conseguiram ultrapassar os campeões romenos do Cluj devido aos golos marcados fora (1-1 f, 0-0 c), mas regressaram à melhor forma para afastar a Roma, com 2-0, no único jogo dos oitavos-de-final. Sergio Reguilón e Youssef En-Nesyri fizeram os golos na primeira parte no MSV Arena e levaram o clube à quarta presença nos quartos-de-final da UEFA Europa League.

Encontros anteriores 

• Este é o primeiro encontro entre os clubes nas competições da UEFA.

• O Wolves já superou um adversário espanhol esta época, deixando o Espanhol pelo caminho nos 16 avos-de-final. Os outros únicos jogos com clubes espanhóis foram na segunda eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1959/60, quando sofreu duas goleadas com o Barcelona (0-4 f, 2-5 c).

• As equipas inglesas têm sido adversários habituais do Sevilha nos últimos anos, com os resultados a serem favoráveis à equipa andaluza. Vitorioso frente ao Liverpool na final da UEFA Europa League de 2016 (3-1), como havia sido frente ao Middlesbrough, uma década antes, na final da Taça UEFA (4-0). Depois disso sofreu apenas uma derrota em seis encontros com adversários da Premier League, 0-2 no reduto do Leicester City nos oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2016/17 (1-2 no total). Doze meses depois, eliminou o Manchester United na mesma ronda, empatando 0-0 em Sevilha e vencendo por 2-1 em Old Trafford.

Desempates por grandes penalidades
• O Wolves nunca disputou um desempate por grandes penalidades nas provas da UEFA.

• O registo do Sevilha em seis desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é de 5V 1D:
4-3 - PAOK, primeira eliminatória da Taça UEFA de 1990/91 
3-1 - Espanhol, final da Taça UEFA de 2006/07
2-3 - Fenerbahçe, oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2007/08 
4-3 - Bétis, oitavos-de-final da UEFA Europa League de 2013/14 
4-2 - Benfica, final da UEFA Europa League de 2013/14
5-4 - Athletic Club, quartos-de-final da UEFA Europa League de 2015/16

Os treinadores
• Antigo guarda-redes, fez parte da selecção de Portugal que participou no UEFA EURO 2008, mas nunca somou qualquer internacionalização pelos seniores. Nuno Espírito Santo foi quase sempre suplente durante a carreira de jogador, mas como treinador não demorou a destacar-se, afirmando-se estudioso e evolutivo nas passagens pelo comando de Valência, Porto e, desde Maio de 2017, do Wolves. Destacou-se em Portugal ao levar o Rio Ave a duas finais de taças domésticas e à qualificação europeia, antes de brilhar em Espanha durante uma passagem de 18 meses pelo Mestalla. Levou o Wolves à Premier League na época de estreia e conseguiu a qualificação para a UEFA Europa League na segunda.

• O Sevilha assinou um contrato de três anos como treinador principal com Julen Lopetegui em Junho de 2019, fazendo o antigo guarda-redes voltar ao activo na Liga espanhola após uma breve passagem pelo Real Madrid que terminou em Outubro de 2018. Teve uma carreira de grande sucesso nas selecções jovens de Espanha, com os pontos altos a serem a conquista dos títulos europeus de sub-19 em 2012 e de sub-21 no ano seguinte. Resistiu apenas 18 meses no Porto antes de assumir o comando da seleção principal da Espanha e conseguir a qualificação para o Campeonato do Mundo de 2018, mas foi dispensado na véspera da prova.