O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Cinco grandes finais da UEFA Europa League e da Taça UEFA

Golos, emoção, grandes exibições: serão estas as melhores das 25 finais a um só jogo disputadas até agora?

Deco ergue o troféu da Taça UEFA após realizar uma exibição fantástica em Sevilha na vitória do Porto
Deco ergue o troféu da Taça UEFA após realizar uma exibição fantástica em Sevilha na vitória do Porto Icon Sport via Getty Images

Desde 1998, a final da Taça UEFA e da UEFA Europa League é decidida a um só jogo, e dez dos 25 duelos tiveram prolongamento e em seis houve desempate por penáltis. Foram marcados 79 golos, o que dá uma média impressionante de 3,2 remates certeiros por jogo.

A qualidade é muita, mas serão estas as cinco melhores finais de sempre na competição?

1998: Lazio 0-3 Inter

Os melhores momentos de Ronaldo na final da Taça UEFA de 1998

Zamorano 5, Zanetti 60, Ronaldo 70
Parc des Princes, Paris

A repetição da final a duas mãos de 1991 terminou com o terceiro triunfo do Inter na Taça UEFA numa década. Javier Zanetti ofereceu cedo o primeiro golo a Iván Zamorano e a dupla combinou depois no segundo tento, antes de um jovem de 21 anos assumir o protagonismo. Ronaldo fez o 3-0 após contornar Luca Marchegiani e coroou uma exibição memorável em Paris. "A Lázio tinha uma equipa incrível", lembrou o astro brasileiro. "De vez em quando revejo essa partida. Que jogo!"

2001: Liverpool 5-4 Alavés (ap)

Resumo da final de 2001: Liverpool vence final com 9 golos

Babbel 3, Gerrard 16, McAllister 40p, Fowler 72, Geli 116og; Alonso 26, Moreno 47 49, Cruyff 88
Westfalenstadion, Dortmund

"Na primeira parte, as coisas não poderiam ter sido melhores", recordou Dietmar Hamann, do Liverpool, cuja equipa esteve duas vezes em vantagem por dois golos naquela que foi a final da Taça UEFA com mais tentos da história da competição. O resultado estava em 4-4 aos 88 minutos e o golo decisivo para a equipa de Gérard Houllier aconteceu de maneira improvável, quando Delfi Geli cabeceou para a sua própria baliza no tempo extra e fez parar o relógio.

2003: Celtic 2-3 Porto (ap)

Larsson 47 57; Derlei 45 115, Alenichev 54
Estadio Olimpico, Sevilha

O treinador do campeão Porto, José Mourinho – na altura com 40 anos – classificou a final de Sevilha como "um grande exemplo para os que gostam de futebol" e o homólogo vencido, Martin O’Neill, concordou: “Esta foi uma experiência maravilhosa.” Após inaugurar a contenda, Derlei apontou depois o tento da vitória naquele que foi o único golo de ouro marcado numa final da Taça UEFA. No entanto, os holofotes em Sevilha recaíram sobre Deco, autor de uma portentosa exibição que atormentou os escoceses durante todo o encontro.

2007: Espanyol 2-2 Sevilha (ap, Sevilha vence por 1-3 nos penáltis)

Resumo de 2007: Sevilha 2-2 Espanyol (3-1 nos penáltis)

Riera 28, Jônatas 115; Adriano 18, Kanouté 105
Hampden Park, Glasgow

O Sevilha tornou-se na segunda equipa a defender o troféu da Taça UEFA – após os sucessos do Real Madrid em 1985 e 1986 –, mas teve de lutar muito para o conseguir e bem pode agradecer o feito ao guarda-redes Andrés Palop, pois possibilitou o primeiro golo da final 100 por cento espanhola com um passe longo desde a sua área. Mais tarde, no desempate por penáltis, defendeu as tentativas de Luis García, Jônatas e Marc Torrejón no desempate. "O guarda-redes [do Sevilha], um jogador notável, fez a diferença", lamentou o treinador do Espanhol, Ernesto Valverde.

2016: Liverpool 1-3 Sevilha

Resumo da final de 2016: Sevilha 3-1 Liverpool

Sturridge 35; Gameiro 46, Coke 64 70
St. Jakob-Park, Basileia

Com o Sevilha de olho no quinto título e o Liverpool no quarto, Daniel Sturridge adiantou os Reds, mas a equipa de Unai Emery reentrou no jogo graças a um tento logo após o intervalo, antes do capitão Coke marcar por duas vezes e confirmar a reviravolta. "Adoramos esta competição", disse Emery, após o Sevilha conquistar o seu terceiro troféu seguido na prova. "É a nossa competição." A viver a primeira temporada no comando do Liverpool, Jürgen Klopp afirmou: "Estamos decepcionados e frustrados, mas vamos dar uso a isto."

Seleccionados para si