Emery destaca união, Jesus resignado

Unai Emery elogiou "o trabalho árduo e a dedicação" do Sevilha após a vitória sobre o Benfica na final, enquanto para Jorge Jesus "a melhor equipa não ganhou".

Emery destaca união, Jesus resignado
Emery destaca união, Jesus resignado ©UEFA.com

Unai Emery, treinador do Sevilha
O Benfica foi – como nós – um digno finalista. O jogo foi bastante renhido durante largos períodos, ao passo que na parte final eles pressionaram mais um pouco. Dava para ver o cansaço existente, as mazelas físicas. Se há uma coisa que aprendemos a fazer, foi sofrer. Os jogadores estavam preparados para isto. Dedico a vitória à minha família e amigos, e ainda à equipa técnica e aos jogadores, que merecem a vitória pelo seu trabalho e dedicação.

A nossa equipa foi unida em momentos difíceis esta noite. O grande trabalho com o treinador de guarda-redes foi crucial, especialmente quando falamos sobre Beto. Esperávamos ter oportunidades – como a de Carlos Bacca – mas estávamos preparados para tudo.

Esta é uma competição que os nossos adeptos adoram, porque já a tínhamos ganho duas vezes. Trabalhámos arduamente pois sentíamos a responsabilidade de ganhar. Não estou certo de que tenhamos sido a melhor equipa, mas os dois conjuntos lutaram bastante. Disse aos jogadores para não terem dúvidas, mas senti que estavam um pouco nervosos com o resultado a zero. O jogo deixou de estar aberto para passar a ser extremamente renhido.

O Sevilha não participava nas competições europeias há duas épocas, por isso queríamos fazer algo especial. Sabíamos que ia ser difícil, mas estávamos desejosos de alcançar a final. É maravilhoso consegui-lo e ainda por cima ganhar. Para mim, e para as pessoas que me conhecem, foi um processo no qual aprendi bastante. Graças ao clube e aos seus adeptos é que estivemos aqui hoje.

Jorge Jesus, treinador do Benfica
Foi uma grande final apesar de não se terem marcado golos. Foi um jogo aberto. O Sevilha começou melhor mas, à medida que o jogo avançava, melhorámos e fomos a melhor equipa. Mostrámos a nossa força, tivemos várias oportunidades para marcar mas não conseguimos.

No prolongamento, a equipa que acreditou mais acabou por ganhar. A melhor equipa não ganhou a Europa League. Dou os parabéns aos meus jogadores. Não lhes posso apontar o dedo em nada. Saímos daqui de cabeça erguida e não vale a pena afundarmo-nos na desilusão. Temos mais uma final no domingo.

Não vale a pena esconder que nos faltaram jogadores importantes. Teria mais opções para escolher quando o [Miralem] Sulejmani se lesionou. Todas as nossas substituições foram forçadas, mas a forma como a equipa respondeu foi agradável. No entanto, no futebol, nem sempre a melhor equipa ganha. Ainda assim, há que ser pragmático e manter a cabeça erguida. Foi uma experiência emotiva que precisamos de afastar a tempo da próxima final, em Lisboa. No fim de contas, ganhou o Sevilha, por isso dou-lhe os parabéns.