Sporting - Benfica: Cinco jogos históricos no campeonato

Sporting e Benfica voltam a defrontar-se esta sexta-feira no Estádio José Alvalade, ocasião para recordamos cinco jogos históricos no campeonato em casa dos "leões".

Bruno Fernandes (à frente) e Gabriel no último Sporting-Benfica para o campeonato
Bruno Fernandes (à frente) e Gabriel no último Sporting-Benfica para o campeonato ©AFP/Getty Images

Participantes nos 16 avos-de-final da UEFA Europa League, Sporting e Benfica defrontam-se esta sexta-feira, às 21h15, no Estádio José Alvalade, em partida da 17ª jornada da Liga portuguesa, a última da primeira volta.

O Benfica igualou as 32 vitórias do Sporting na época passada
O Benfica igualou as 32 vitórias do Sporting na época passada©Getty Images

O mais antigo derby do país começou a disputar-se em 1907 e, se levarmos em conta apenas a versão corrente do campeonato, este será o jogo 86 entre os dois clubes tendo os "leões" como visitados. A vitória no último confronto, por 4-2, permitiu ao Benfica igualar o Sporting em termos de triunfos entre ambos em Alvalade, 32, tendo havido 22 empates (123-124 em golos). A redacção portuguesa do UEFA.com destaca cinco desses encontros.

Sporting rumo ao tri com os “Cinco Violinos”

1948/49: Sporting 5-1 Benfica
14/11/1948, 9ª jornada

Com a inauguração do Estádio Nacional, em 1944, ficou decidido que todos os confrontos entre os dois clubes a partir de 1948/49 – e até disporem de recinto próprio (o Benfica teve-o em 1954, o Sporting dois anos depois) – passassem a ser disputados naquele local. Este foi o primeiro deles, numa temporada em que os “leões” asseguraram a conquista do tricampeonato, feito inédito na altura.

Treinado por Cândido de Oliveira, o Sporting alinhava então com os “Cinco Violinos” – designação pela qual ficou conhecido o ataque que maravilhou os adeptos do futebol na segunda metade da década de 1940, constituído por Jesus Correia, Manuel Vasques, Albano Pereira, José Travassos e Fernando Peyroteo.

Yazalde a caminho da Bota de Ouro

1973/74: Sporting 3-5 Benfica
31/031974, 26ª jornada

Naquela tarde de domingo, o Estádio José Alvalade testemunhou a última aparição pública de Marcelo Caetano, o chefe do Governo, pouco tempo antes da Revolução de 25 de Abril de 1974 ter posto termo ao regime ditatorial do Estado Novo, iniciado em 1933 por António de Oliveira Salazar.

Dentro das quatro linhas, o Benfica levou a melhor num vendaval de golos em que o avançado argentino Hector Yazalde, do Sporting, marcou dois dos 46 remates certeiros que lhe valeram a conquista da Bota de Ouro europeia nessa época. Apesar deste desaire, a cinco jornadas do fim, os “verde-e-brancos” acabariam por sagrar-se campeões.

O poker de Manuel Fernandes nunca igualado

1986/87: Sporting 7-1 Benfica
14/12/1986, 14ª jornada

Quatro golos do avançado e capitão do Sporting, Manuel Fernandes – os últimos três no espaço de 15 minutos da segunda parte –, ajudaram a dar expressão ao resultado mais desnivelado verificado em jogos entre os dois conjuntos – e nunca antes o Benfica sofrera tantos golos do rival. Não obstante, os “encarnados” de John Mortimore recuperaram da hecatombe e sagraram-se campeões após o triunfo, por 2-1, precisamente no jogo de volta.

Manuel Fernandes continua a ser o único jogador a ter feito quatro tentos neste derby da liga sempre que o Sporting actuou como visitado. Antes disso, apenas tinha acontecido no reduto do Benfica: Fernando Peyroteo (Sporting, 4-1, 1947/48), Eusébio (Benfica, 1-4, 1972/72) e João Lourenço (Sporting, 4-2, 1965/66).

A noite mágica de João Pinto

1993/94: Sporting 3-6 Benfica
14/05/1994, 30ª jornada

Com quatro jornadas por realizar, o Sporting de Carlos Queiroz seguia um ponto atrás do Benfica, por isso uma vitória iria permitir-lhe ultrapassar o líder e dar um passo importante para voltar a ser campeão ao fim de 12 anos. Os “leões” estiveram duas vezes em vantagem, só que chegaram ao intervalo a perder por 3-2 graças ao fantástico “hat-trick” de João Pinto apontado no espaço de 14 minutos.

No reatamento, Queiroz desguarneceu o lado esquerdo da defesa ao tirar Paulo Torres sem colocar substituto e foi em jogadas por esse flanco que as “águias” marcaram por mais três vezes, duas por Isaías e uma por Hélder Cristóvão, antes de Krasimir Balakov reduzir o resultado, de grande penalidade, perto do fim. A memorável exibição de João Pinto ajudou a equipa de Toni a embalar rumo à conquista do título, pois até final do campeonato não sofreu mais nenhum golo.

Os nove tentos deste confronto igualaram também o máximo anterior nos embates entre os dois emblemas para o campeonato, verificado em duas ocasiões, embora tendo as "águias" como anfitriãs: Benfica 7-2 Sporting (16 de Janeiro de 1944) e Benfica 5-4 Sporting (28 de Abril de 1946).

Sabry adia festejos do Sporting por uma semana

1999/2000: Sporting 0-1 Benfica
06/05/2000, 33ª jornada

Peter Schmeichel quando jogava no Sporting
Peter Schmeichel quando jogava no Sporting©Getty Images

Há muito tempo que não se via tamanha euforia por parte dos adeptos do Sporting. Em causa, no caso de vitória, estava a possibilidade de conquista do primeiro título de campeão em 18 anos, a duas jornadas do fim. Todavia, os triunfos do eterno rival – desde cedo fora da corrida – e do Porto, segundo da classificação, obrigaram os “leões” de Augusto Inácio a adiar as celebrações até à derradeira ronda.

Num jogo de nervos para os anfitriões, André Cruz acertou no poste logo a abrir e o nulo subsistiu até dois minutos do fim, altura em que o egípcio Abdel Sabry, entrado no início da segunda parte a substituir João Pinto – a jogar a última época nos “encarnados” antes de rumar ao adversário –, frustrou os sportinguistas batento o gigante dinamarquês Peter Schmeichel de livre directo.