Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

United vence Ajax e arrecada o troféu que lhe faltava

Com golos em cada uma das partes e sem permitir ao Ajax, sequer, uma ocasião para marcar, o United ganhou em Estocolmo e completou o leque de troféus de clubes da UEFA.

Watch the goals that gave Manchester United glory

O Manchester United conquistou a UEFA Europa League após derrotar o Ajax por 2-0 na final de Estocolmo, conseguindo, dessa forma, completar o leque dos principais troféus de clubes da UEFA. Paul Pogba abriu o marcador na primeira parte, sendo imitado no reatamento pelo pontapé vistoso de Henrikh Mkhitaryan a decidir a atribuição do troféu.

Num jogo que foi precedido de um minuto de silêncio em memória das vítimas dos ataques em Manchester, foi a equipa de José Mourinho quem primeiro mostrou trabalho, pressionando alto em busca do erro dos holandeses, que logo a abrir bateram um recorde.

Matthijs de Ligt, com 17 anos e 285 dias, tornou-se no mais jovem a alinhar numa final da Taça UEFA/UEFA Europa League, contra os 18 anos e 252 dias do então jogador do Sporting, João Moutinho, na final de 2005 diante do CSKA Moscovo.

O Ajax foi a primeira equipa a criar perigo, num remate (15) de Bertrand Traoré a testar a atenção de Sergio Romero, acabando minutos depois o United por ser mais feliz na área contrária, num remate de Paul Pogba (18) a passe de Marouane Fellaini que ao desviar em Davinson Sánchez, enganou Andre Onana.

O internacional francês chegava ao seu sexto golo na prova, os mesmos que Henrikh Mkhataryan quando, logo a abrir a segunda parte, o arménio ampliou com um remate acrobático o marcador para os ingleses, após Juan Mata ter cobrado o pontapé de canto desviado pela cabeça de Chris Smalling à entrada da pequena área.

A ganhar por 2-0 o United via cada vez mais perto o histórico feito de ganhar a UEFA Europa League e, assim, completar o leque dos principais troféus de clubes da UEFA, mas o Ajax mostrou que era ainda muito cedo para festejos do clube inglês na sua 15ª final europeia.

Ainda assim, a solidez e eficácia defensiva do United mantinha longe da sua baliza a impetuosa equipa de Amesterdão ao mesmo tempo que ia tentando o contra-ataque, numa estratégia que premiava mais a gestão defensiva determinada pelo treinador português que a vontade imposta pelo homólogo holandês aos seus jogadores.

José Mourinho, que já havia vencido o troféu – na versão Taça UEFA – em 2003, pelo FC Porto, ganhou-o agora na era UEFA Europa League para o depositar na vitrina de Old Trafford. E vão quatro troféus europeus para o treinador português.

A figura: Marouane Fellaini (Manchester United)
Numa exibição do clube inglês que assentou na capacidade de gestão do jogo do adversário, a tarefa de Fellaini teve um papel decisivo, não só pela pressão que fez, mas também pela visão, sendo dele o passe que Pogba transformou no golo inaugural.

O momento: Encontro com a história
O golo de Henrikh Mkhataryan, ao minuto 47, teve uma dupla consequência para a história da competição, com a adição de mais dois nomes. Desde logo o do jogador, que se tornou no primeiro arménio a marcar numa final, e o do United para o quadro de honra, completando o leque de troféus da UEFA.

Reacções:

José Mourinho, treinador do Manchester United:
"É o fim de uma época muito difícil, mas ao mesmo tempo muito, muito boa. Preferimos isto a terminar em quarto, terceiro ou segundo lugar [na Premier League]. Conseguimos o objectivo de regressar à Champions League ao vencer um troféu importante que fecha o lote – o clube passa a ter todos os títulos no futebol mundial. Tínhamos isto em mente desde o início e sempre acreditámos que era possível ganhar a Europa League".

"Jogámos de forma muito inteligente, sabíamos que podíamos ganhar e conseguimo-lo de forma muito boa. Se pretendemos pressionar o adversário, não fazemos um jogo de passes curtos; se somos fortes no jogo aéreo, jogamos com passes longos. Existem bastantes poetas no futebol, mas não ganham muitos títulos. Sabíamos os pontos-fortes do adversário e os nossos e por isso tentámos minimizar uns e maximizar outros. Correu tudo na perfeição e estou muito feliz com os jogadores naquela que foi provavelmente a minha época mais difícil".

Peter Bosz, treinador do Ajax:
"Obviamente que estamos desiludidos. Não vi em campo a equipa do Ajax a que estou habituado, pressionando e disputando todos os lances. Penso que o jogo foi aborrecido. Ficámos em desvantagem num remate que sofreu um desvio e depois disso foi muito difícil frente a um adversário complicado. Não fomos suficientemente bons. Os meus jogadores vão aprender muito com esta experiência e se mantivermos o núcleo duro, na próxima época seremos ainda mais fortes”.

Henrikh Mkhitaryan, Manchester United:
"Toda a gente me dizia que ia marcar. Desde as meias-finais que sonhava marcar na final, e foi o que aconteceu. É uma sensação muito agradável. Lutámos na Premier League e na Europa League [para alcançar a Champions League]; não conseguimos no campeonato, mas felizmente compensámos esta noite".

Paul Pogba, Manchester United:
"O objectivo era vencer – só pensámos nisso toda a época. E agora conseguimos, o que nos deixa orgulhosos, muito orgulhosos. As pessoas dizem que tivemos uma má temporada a nível interno, mas este título compensa isso. O início foi muito importante, marcámos cedo, e depois conseguimos o segundo golo, logo a abrir a segunda parte, o que nos permitiu controlar o jogo. Conseguimos defender bem, toda a gente estava concentrada e merecemos ganhar".

Topo