O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Iñaki Williams e Maxi López: dois avançados, duas histórias

Torino e Athletic empataram 2-2 em Itália, num jogo que teve como figuras principais dois avançados com histórias de vida bem distintas: Iñaki Williams e Maxi López.

Iñaki Williams, do Athletic, inaugurou o marcador em Turim
Iñaki Williams, do Athletic, inaugurou o marcador em Turim ©AFP/Getty Images

O empate 2-2 entre Torino FC e Athletic Club teve como principais figuras dois avançados com passados muito diferentes: Iñaki Williams e Maxi López.

Williams, ponta-de-lança de 20 anos do Athletic, precisou de apenas nove minutos para marcar no jogo de estreia nas provas europeias. Por seu lado, o bem mais viajado Maxi López, de 30 anos, deu a volta ao marcador para o Torino com um bis e foi substituído debaixo de enorme ovação, segundos antes de Carlos Gurpegi restabelecer o empate final.

Nascido em Bilbau, filho de pai ganês e mãe liberiana, Williams estreou-se na Liga espanhola a 6 de Dezembro, após dar cartas na equipa B do Athletic. Ainda pouco experiente, debutou esta quinta-feira à noite nas competições europeias, em Turim, confirmando todas as qualidades que lhe são reconhecidas, ao dar muitas dores de cabeça à defesa da casa devido à sua velocidade.

"Era importante marcarmos golos esta noite e foi muito positivo para o Iñaki ter marcado", destacou Ernesto Valverde, técnico da formação do País Basco. "Esta noite ele fez um grande jogo. É veloz e possante fisicamente. Talvez volte a apostar nele para a mesma posição na partida da segunda mão, mas ele também consegue ser perigoso quando joga um pouco mais atrás."

A excelente finalização de Williams a passe de Borja Viguera constituiu duro golpe para o Torino. Contudo, os italianos souberam reagir, muito por culpa de Maxi López, que conseguiu dar o melhor seguimento às assistências dos laterais Cristian Molinaro e Matteo Darmian.

Quando tinha os 20 anos que Williams tem hoje, em 2004, o argentino preparava-se para trocar o CA River Plate pelo FC Barcelona. Passou depois por RCD Mallorca, FK Moskva, Grêmio FBPA, Calcio Catania, AC Milan, UC Sampdoria e AC Chievo Verona, antes de mudar-se para o Torino, em Janeiro. Não tardou a conquistar os adeptos "granata", ao marcar o golo da vitória sobre o AC Cesena e frente ao Athletic relegou para o banco o habitual titular, Fabio Quagliarella, recompensando com golos a aposta do treinador.

No final da partida, Quagliarella afirmou: "Agora teremos de ir a Espanha impor o nosso jogo, mas se actuarmos de acordo com aquilo que somos capazes estou certo que seguiremos em frente." Quem levará, então, a melhor na segunda mão: o jovem talento emergente ou o avançado veterano?