Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Jogadores do Sevilha numa "noite incrível"

Ivan Rakitic, Vitolo e Daniel Carriço mostraram-se encantados pela "noite incrível" do Sevilha, Steven Defour e Hector Herrera disseram que o Porto pagou caro a entrada lenta no jogo.

Sevilha celebra vitória
Sevilha celebra vitória ©AFP/Getty Images

Júbilo para Ivan Rakitić, Vitolo e Daniel Carriço depois da “noite incrível” para o Sevilla FC em contraste com o duo do FC Porto, Steven Defour e Hector Herrera, que lamentou a dolorosa primeira meia hora de partida em que a vantagem de 1-0 que traziam da primeira mão dos quartos-de-final da UEFA Europa League se viu transformada numa derrota por 4-1.

Ivan Rakitić, médio do Sevilha
Penso que foi uma noite incrível. Fizemos uma grande exibição e essa foi a razão porque terminámos com este resultado. No geral, logo desde o início, jogámos com uma intensidade alta e positiva e o Porto não sabia o que fazer. Parecia que tínhamos dois ou três jogadores a mais do que eles em campo.

O que a Espanha e o mundo testemunharam, nos últimos dias, com o Atlético de Madrid e o Sevilha foi realmente impressionante. É também um sinal do quão forte a Liga é.

Vitolo, extremo do Sevilha
Não penso que tenha havido nenhum aspecto negativo na equipa esta noite, demos tudo desde o primeiro minuto. É verdade que na segunda parte eles tiveram mais posse de bola mas com a vantagem de que dispúnhamos e com um homem a menos tínhamos de jogar dessa forma. O treinador disse-nos antes do jogo que tínhamos de começar com muita intensidade e dar tudo de nós, e foi o que fizemos. A equipa cumpriu e foi muito importante termos marcado três golos tão depressa - essa foi a chave.

O treinador tem mostrado muita fé em mim, jamais o imaginaria no início da época. Estou particularmente satisfeito pelo golo e pelo trabalho da equipa, que penso foi excelente.

Daniel Carriço, médio do Sevilha
Correu tudo muito bem. Se tivéssemos sonhado com este jogo, teria sido isto que teríamos desejado. Os primeiros 30 minutos foram perfeitos. Começámos o jogo como uma bala a sair da arma, queríamos marcar cedo e os adeptos do Sevilha foram espectaculares. Apoiaram-nos durante os 90 minutos, eles foram uma espécie de 12º jogador. Para nós, foi a noite perfeita.

Agora vamos defrontar quem nos calhar. Estamos nas meias-finais da Europa League e não há por que escolher. Seja quem for, teremos de o enfrentar e sonhar em chegar à final.

Steven Defour, médio do Porto
Penso que nos primeiros 20 minutos não estivemos preparados para a pressão do Sevilha e, claro, logo aos cinco minutos tivemos uma grande penalidade contra nós. Isso não nos ajudou, deu-lhes confiança e tivemos algumas dificuldades – penso que isso fez a diferença.

Ao terem marcado logo depois dos cinco minutos, os adeptos ficaram ainda mais ruidosos e nós já sabíamos que iria ser um ambiente difícil para nós, mas tínhamos que levantar a cabeça e olhar em frente. [Os suspensos Jackson Martínez e Fernando] são jogadores importantes mas penso que tínhamos a qualidade para os substituir bem mas, infelizmente, a equipa fez um mau jogo. O Sevilha tem qualidade, está nas meias-finais e tudo pode acontecer mas nós também temos e, se tivéssemos marcado mais golos na primeira mão, talvez a história hoje fosse diferente.

Héctor Herrera, médio do Porto
Penso que o problema nos nossos primeiros 30 minutos foi a falta de organização. Eles aproveitaram bem os espaços concedidos e isso reflectiu-se no resultado. Queríamos atacar mas deixávamos espaços atrás, do qual eles tiraram vantagem.

O Jackson e o Fernando são jogadores importantes nesta equipa e sempre contámos com eles mas não penso que tenha sido pela sua ausência que acabámos eliminados desta forma. O Sevilha tem uma boa equipa, joga um bom futebol e agora só temos que desejar-lhes sorte. Espero que consigam atingir o seu objectivo, que é o que vão tentar fazer. Os adeptos estiveram muito presentes esta noite, nunca deixaram de os estimular e isso motivou-os ao mesmo tempo que nos dificultou a nós, funcionou mais a favor deles por serem a equipa da casa.

Topo