Conte pede à Juve para concentrar-se no Lyon

"A Serie A não existe", disse o treinador da Juventus, Antonio Conte, ao exigir concentração aos seus jogadores no duelo dos quartos-de-final com o Lyon.

O treinador da Juventus, Antonio Conte
O treinador da Juventus, Antonio Conte ©AFP/Getty Images

A Juventus está cada vez mais perto do terceiro título italiano consecutivo, mas, para já, "a Serie A não existe", disse Antonio Conte para motivar os seus comandados para o decisivo embate da UEFA Europa League frente ao Olympique Lyonnais.

Os "bianconeri" estão na "pole position" para o apuramento após o defesa Leonardo Bonucci ter marcado a cinco minutos do final no Stade de Gerland, dando aos visitantes uma preciosa vantagem na primeira mão. Garantir o apuramento seria um feito considerável para Conte, um técnico bastante conhecedor da história desta competição. "Estamos concentrados neste encontro porque seria prestigiante para a Juventus chegar às meias-finais", disse. "Não nos esqueçamos que já passaram sete anos desde a última vez que uma equipa italiana conseguiu tal feito."

As exigências de lutar por títulos em duas frentes não é algo que preocupe o técnico italiano, que não poupou elogios ao talentoso médio Paul Pogba – uma revelação desde que, em 2012, ingressou no clube proveniente do Manchester United FC. "Ele melhorou fisica, tecnica e tacticamente. Deu passos gigantes desde que chegou aqui, mas ainda há margem para melhorias", explicou o treinador de 44 anos. "Ele não se deve acomodar àquilo que é actualmente, porque pode crescer ainda mais."

"Não se trata de fazer uma rotação, mas sim de tentar apresentar sempre a equipa mais forte para prosseguirmos em prova. Tenho que avaliar o encontro e escolher os jogadores que acredito nos servirão melhor", acrescentou Conte, que tomará uma decisão mais próxima da hora do encontro sobre a utilização de Carlos Tévez. "Sabemos melhor do que ninguém as condições físicas e psicológicas dos nossos jogadores. Somos pagos para tomar estas decisões."

Partilhando a mesma contenção diplomática do seu mentor, Martín Cáceres continua concentrado na missão que se lhes apresenta. "Encaramos os encontros jogo a jogo e estamos muito felizes por nos encontrarmos na Europa League", disse o defesa da selecção do Uruguai. "Este jogo frente a uma grande equipa do Lyon é o mais importante para nós. Depois, logo olharemos para o campeonato."

O Lyon venceu em quatro das deslocações até Itália e Rémi Garde está optimista quanto à possibilidade de a sua equipa poder tornar-se no primeiro conjunto francês a vencer na casa da Juventus. "Nós acreditamos nisso. Acreditamos bastante nisso. Seria certamente uma surpresa se continuássemos em prova, porque teríamos feito algo que muita gente não acreditaria que fossemos capazes. Se mostrarmos a mesma atitude da semana passada, podemos colocar-nos em posição de criarmos uma surpresa."

O clube da Ligue 1 – a primeira equipa francesa a chegar a esta fase da prova desde o advento da UEFA Europa League, em 2009/10 – perdeu quatro das cinco presenças em quartos-de-final das competições europeias e Garde está ciente do que é preciso fazer para melhorar esse registo. "Precisaremos de ter grande concentração, determinação e unidade, porque há substanciais diferenças em termos de qualidade individual, pelo que precisamos de uma excelente exibição colectiva para compensar isso", disse. "Defensiva ou ofensivamente, precisamos de estar no ponto."

"Os nossos adeptos têm um grande papel a desempenhar, uma vez que este irá ser um jogo muito difícil frente a um grande clube, com uma grande equipa, mas irei dizer aos meus jogadores que não deverão ter quaisquer arrependimentos no final", acrescentou o técnico do Lyon. "É bastante simples: temos um golo de desvantagem, pelo que sabemos que teremos de marcar. Também temos que manter a nossa baliza inviolada e isso será complicado, uma vez que eles têm uma equipa e avançados que podem marcar em qualquer altura."