Remate acrobático de Salvio derruba AZ

AZ Alkmaar 0-1 SL Benfica
Um remate acrobático de Eduardo Salvio impôs a primeira derrota ao AZ e deixou o Benfica perto da segunda meia-final seguida.

Remate acrobático de Salvio derruba AZ
Remate acrobático de Salvio derruba AZ ©UEFA.com

O SL Benfica, finalista da época passada, foi à Holanda impor ao AZ Alkmaar a primeira derrota nesta edição da UEFA Europa League depois de dez jogos jogos sem mácula.

O clube "encarnado" venceu por 1-0 graças a um golo de Eduardo Salvio e colocou-se em óptima posição para, daqui a uma semana, confirmar a passagem às meias-finais. Depois de uma primeira parte em que a equipa holandesa dominou, o Benfica regressou do intervalo com vocação atacante e fixou o resultado com um remate acrobático do argentino, à meia-volta, aos 48 minutos.

O AZ entrou no jogo com atitude personalizada e ofensiva. É verdade que não foram de enorme perigo as primeiras finalizações de Roy Beerens (ao primeiro minuto e ao quinto) e de Viktor Elm (aos 12), mas foram o mote para uma exibição descomplexada.

O Benfica tentou sacudir a pressão, mas foi o AZ que criou, de seguida, as primeiras grandes ocasiões de golo, aos 19 e 20 minutos. Primeiro foi Beerens a servir Aron Jóhansson para um remate que Artur desviou, depois foi Steven Berghuis, com um tiro portentoso, a obrigar Artur a brilhante defesa.

Rodrigo tentou, aos 23 minutos, dar sinais de inconformismo, mas eram evidentes as dificuldades do Benfica. A jogar com maior intensidade, o AZ controlava o jogo. Só a espaços a equipa portuguesa chegava com perigo à baliza de Esteban, como aos 32 minutos, em que uma sequência de trocas de bola deixou André Gomes em posição de concluir.

Em resposta, o AZ lançava-se no contra-ataque e mantinha em sentido a equipa portuguesa, que aos 38 minutos perdia Rúben Amorim, por lesão. Antes do intervalo, Guilherme Siqueira (40) e Rodrigo (43) tiveram o golo nos pés, mas foi de novo o AZ a obrigar Artur a grande intervenção, num remate potente de Berghuis, aos 44.

Se é verdade que foi o AZ a terminar a primeira parte a dominar o jogo, não é menos certo que o Benfica trouxe do balneário o traje de luxo que mostrara em casa do Tottenham, nos oitavos-de-final. Aos 48 minutos, Cardozo atirou para defesa de Esteban e, na recarga, Salvio fez o 1-0 com um pontapé pleno de intenção. Pouco depois, o ponta-de-lança do Paraguai teve no pé esquerdo oportunidade para ampliar (52), mas atirou ao lado.

Era o Benfica a revelar uma face que o AZ ainda não tinha visto. A jogar de forma autoritária, o conjunto "encarnado" voltou a aproximar-se do golo em duas ocasiões, ambas por Rodrigo, quando o relógio marcava os 55 minutos. O avançado espanhol voltou a ameaçar, com remate de longa distância aos 68, mas o Benfica não conseguiria ampliar a vantagem, mesmo quando Lima teve, aos 81 minutos, dois lances de perigo consecutivos. A vitória, ainda que magra, deixa o conjunto de Lisboa à espreita das meias-finais, mas vai ter de lá chegar sem Nicolás Gaitán e Maxi Pereira, admoestados com cartão amarelo nesta partida.