Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Mais vale tarde do que nunca para o Nápoles

O hábito que o Nápoles adquiriu recentemente de garantir vitórias ao cair do pano deixa Rafael Benítez e os seus pupilos mais confiantes para a recepção ao Porto.

Pepe Reina e Gonzalo Higuaín após o triunfo do Nápoles no terreno do Torino
Pepe Reina e Gonzalo Higuaín após o triunfo do Nápoles no terreno do Torino ©Getty Images

Não terá sido a melhor exibição da época por parte do SSC Napoli, mas o suado triunfo de segunda-feira, por 1-0, no terreno do Torino FC, na Serie A, constituiu precisamente o que necessitava antes da decisiva segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Europa League frente ao FC Porto, na quinta-feira.

Vindo de uma derrota por 1-0 sofrida em Portugal na passada semana, o Nápoles não teve vida fácil diante do Torino, que enviou duas bolas aos ferros e deu sempre muito trabalho ao guarda-redes Pepe Reina antes de Gonzalo Higuaín apontar, no último minuto, o golo que valeu os três pontos aos napolitanos. "Agora podemos partir mais confiantes para o jogo com o Porto, porque ultrapassámos um teste complicado esta noite", salientou o treinador Rafael Benítez, cuja equipa ocupa o terceiro lugar na Serie A, ainda que a 17 pontos da líder Juventus. "Temos de recuperar todos os jogadores fisicamente, de forma a entrarmos em campo frescos para um jogo que será como uma final para nós."

"Não é fácil jogar a esta velocidade a cada três ou quatro dias, mas vamos dar o nosso melhor, pois damos muita importância à Europa League e queremos chegar o mais longe possível", acrescentou o técnico espanhol, que guiou o Chelsea FC à conquista da prova na última época. Benítez procura tornar-se no terceiro treinador a erguer o troféu duas épocas seguidas, o segundo – depois de Giovanni Trapattoni – a vencê-lo por três vezes e o primeiro a conquistá-lo ao leme de três clubes diferentes. "Acreditamos que ainda podemos seguir em frente, apesar da derrota no jogo da primeira mão."

O triunfo sobre o Torino teve algumas semelhanças com a vitória do Nápoles sobre a AS Roma na anterior semana, num jogo em que José Callejón assinou o único golo da partida a nove minutos do apito final, depois de a formação da capital ter desperdiçado uma série de boas oportunidades para ganhar vantagem. A turma napolitana tem, pois, sido algo feliz nos últimos tempos, mas tal felicidade deriva, talvez, da frieza que tem vindo a demonstrar. "Temos vindo a jogar dois encontros por semana ao longo de toda a época, pelo que nem sempre é fácil estar no nosso melhor", explicou Benítez. "Criámos situações de golo, tal como o Torino, e mostrámos que estamos sempre dispostos a lutar pela vitória até ao último minuto."

O Porto estará certamente consciente da ameaça que o Nápoles constitui, depois de ter visto os italianos eliminarem o Swansea City AFC em Itália nos 16 avos-de-final. Tal como fizeram diante da Roma e do Torino, os pupilos de Benítez passaram por momentos de grande dificuldade, mas acabaram por encontrar a inspiração extra nos instantes finais. Higuaín – uma vez mais – e Gökhan Inler marcaram os golos que valeram um triunfo por 3-1 e que permitiram ao Nápoles manter o registo 100 por cento vitorioso no Estádio San Paolo em quatro jogos europeus esta temporada.

"O Gonzalo trabalha sempre muito pela equipa", referiu Benítez sobre Higuaín, autor de 21 golos em 38 jogos no conjunto de todas as competições desde que chegou a Itália, proveniente do Real Madrid CF, no passado Verão. "Estou extremamente satisfeito com o seu contributo. Mas os seus colegas também o ajudam muito, como ele os ajuda a eles." O ponta-de-lança argentino já substituiu Edinson Cavani – agora no Paris Saint-Germain – no coração dos adeptos do Nápoles. Outro golo decisivo frente ao Porto – ao cair do pano ou não – deixá-lo-á um passo mais perto de se tornar numa lenda do clube.

Do lado do Porto, o técnico Luís Castro está consciente dos obstáculos do encontro. "Estamos em vantagem mas, ao mesmo tempo, temos consciência das dificuldades que nos esperam", disse. "Respeitamos a equipa do Nápoles, mas queremos continuar em prova. Sentimos muito aquilo que se passou com o Helton e queremos dedicar-lhe a passagem desta eliminatória."

O médio Steven Defour acrescentou: "Sabemos que os erros se pagam caro quando estamos num palco europeu. Fizemos um jogo muito bom na primeira mão e não sofremos nenhum golo. Estamos no bom caminho. O Nápoles é uma equipa forte em transições, pois o meio-campo deles é muito forte fisicamente e nós temos que saber responder a isso. Acho que o Porto tem qualidade para vencer a Liga Europa."

Topo