Jackson coloca FC Porto na "pole position"

FC Porto 1-0 SSC Napoli
Jackson Martínez marcou na segunda parte e deu vantagem aos "dragões" na luta por um lugar nos quartos-de-final.

Jackson Martínez exulta após ter marcado o golo da vitória do FC Porto frente ao Nápoles
Jackson Martínez exulta após ter marcado o golo da vitória do FC Porto frente ao Nápoles ©AFP/Getty Images

Um golo de Jackson Martínez permitiu ao FC Porto derrotar o SSC Napoli, por 1-0, na primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Europa League.

O campeão português fez por merecer abordar em vantagem o jogo da segunda mão, agendado para a próxima semana em Nápoles, com Pepe Reina a negar por duas vezes o golo portista, antes de o avançado colombiano apontar, aos 57 minutos, o único tento da noite.

Os primeiros minutos do encontro disputado no Estádio do Dragão foram pautados por muitos passes errados e más recepções de bola de parte a parte, o que resultou num jogo algo incaracterístico. O FC Porto tinha, porém, mais posse de bola e quase marcou na primeira vez em que logrou conectar uma jogada, aos 12 minutos. Carlos Eduardo culminou uma excelente iniciativa individual com um cruzamento para Jackson Martínez, que viu Pepe Reina efectuar uma espantosa defesa para canto.

O lance empolgou os "dragões", que chegaram a festejar aos 20 minutos, quando Carlos Eduardo introduziu a bola na baliza italiana, mas a jogada foi invalidada por fora-de-jogo do médio brasileiro. O Nápoles sentia dificuldades para sair do seu meio-campo, com a referência ofensiva Gonzalo Higuaín a ter mais preocupações defensivas do que propriamente tentar alvejar a baliza à guarda de Helton.

A pressão portista abrandou a partir da meia-hora de jogo, disso se aproveitando o conjunto transalpino para "respirar" finalmente um pouco com o esférico em seu poder e equilibrar a contenda até ao intervalo.

Fernando, que já havia dominado o meio-campo na etapa inicial com as suas sucessivas recuperações defensivas, esteve prestes a assinar um golo memorável com apenas dois minutos decorridos da segunda parte, mas Reina voltou a brilhar e desviou para canto o disparo ao ângulo do jogador "azul-e-branco". Ricardo Quaresma tabelou bem com Steven Defour três minutos volvidos, mas o seu remate de pé esquerdo saiu ligeiramente ao lado.

O Nápoles pareceu finalmente acordar ao segundo aviso e Higuaín só não fez o 1-0 aos 53 minutos porque Helton conseguiu desviar o remate rasteiro do internacional argentino. Logo a seguir, José Callejón cobrou um canto no lado direito e proporcionou o cabeceamento a Raúl Albiol, mas Helton voltou a manter o nulo com uma defesa de instinto.

O Porto parecia surpreendido com a reacção napolitana e Higuaín voltou a assustar com um remate que Callejón não conseguiu desviar com sucesso, mas, curiosamente, os anfitriões lograram ganhar vantagem no melhor período do adversário. Quaresma apontou um canto na direita, com Faouzi Ghoulam a não aliviar completamente o perigo e Jackson a não perdoar, batendo Reina com um remate cruzado de pé esquerdo.

O Nápoles tentou reagir de imediato ao revés e assumir as despesas da partida, mas Luís Castro cedo refrescou a sua equipa, lançando Juan Quintero e Nabil Ghilas para conferir maior velocidade e poder de pressão. E a aposta esteve quase a revelar-se perfeita a oito minutos dos 90, quando Quintero acertou no poste num lance confuso em que também esteve envolvido Ghilas.