Tévez tranquilo apesar de jejum europeu

"Estou calmo, pois mais cedo ou mais tarde os golos vão aparecer", disse Carlos Tévez, da Juventus, cujo último tento na Europa aconteceu pelo Manchester United em Abril de 2009.

Carlos Tévez não tem tido dificuldades em marcar na Serie A
Carlos Tévez não tem tido dificuldades em marcar na Serie A ©AFP/Getty Images

O avançado da Juventus, Carlos Tévez, não perdeu o sono por causa do seu jejum europeu, à partida para o embate da equipa italiana nos quartos-de-final da UEFA Europa League, frente ao Olympique Lyonnais, a 3 de Abril.

"Estou calmo pois, mais cedo ou mais tarde, os golos vão aparecer, mas não é uma obsessão para mim", disse o internacional argentino, que não marca nas competições europeias desde que apontou um dos golos do Manchester United FC frente ao FC Porto, na edição 2008/09 da UEFA Champions League. No entanto, os seus 18 golos na Serie A desde que foi contratado ao Manchester City FC, no Verão passado, ajudaram os "bianconeri" a ficarem perto da conquista do seu terceiro "scudetto" consecutivo.

Ainda assim, enquanto o seu jejum na UEFA não é propriamente um caso de bipolaridade, ainda assim continua a ser pouco habitual para um jogador do seu calibre. "Parece que, nas competições europeias, os remates dele nunca querem entrar", disse o companheiro de ataque, Pablo Osvaldo, ao UEFA.com, depois do triunfo sobre o Trabzonspor AŞ nos 16 avos-de-final, em Fevereiro. "No entanto, Carlos é um jogador fantástico e é impossível não me sentir confortável a jogar ao seu lado."

A Juve somou a sua 15ª vitória seguida na primeira divisão a meio da semana, levando a melhor sobre o Parma FC por 2-1, com um bis de Tévez, que permaneceu pragmático após ter sido excluído da deslocação de domingo ao terreno do SSC Napoli, terceiro classificado, devido a castigo. "Infelizmente não posso alinhar no fim-de-semana, mas isso dá-me a oportunidade para me preparar melhor para o Lyon. Vou poder recarregar baterias para viajar até França", disse, antes da primeira de quinta-feira, no Stade de Gerland.

Os seus colegas também precisarão de descanso, depois de vitórias mínimas sobre Calcio Catania e Parma. "Tem sido difícil", acrescentou o pequeno número 10. "Estamos a realizar muitos jogos e nem sempre é possível jogar a um ritmo elevado. Ainda assim, conseguimos ganhar e isso é que conta. Não podemos fazer mais do que isto." Com 26 vitórias em 30 partidas da Serie A, a avaliação de Tévez é bem fundamentada, apesar de a Juve precisar que redescubra rapidamente a sua veia goleadora na Europa.