O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Benítez satisfeito, Jesus lamenta falta de sorte

Rafael Benítez classificou o triunfo do Chelsea na Europa League como uma "noite especial para todos os envolvidos", enquanto Jorge Jesus pensa que o Benfica seria "um merecido vencedor".

Benítez satisfeito, Jesus lamenta falta de sorte
Benítez satisfeito, Jesus lamenta falta de sorte ©UEFA.com

Rafael Benítez admitiu que o triunfo do Chelsea FC na final da UEFA Europa League foi mais saboroso por saber que teve de ultrapassar uma "grande equipa", o SL Benfica, para conquistar o troféu.

Benítez, no seu penúltimo jogo pelos "blues", tornou-se apenas no segundo treinador, a seguir a Giovanni Trapattoni, a conduzir até à glória dois clubes diferentes nesta competição, após o sucesso à frente do Valencia CF, em 2004. O espanhol disse estar "feliz pela vitória", mas insistiu que, mesmo que o Chelsea não tivesse ganho, continuaria a ter muitos motivos de orgulho.

Jorge Jesus, do Benfica, teve uma opinião semelhante, embora tenha lamentado a falta de sorte, já que a sua equipa, pela segunda vez no espaço de cinco dias, perdeu um jogo importante à beira do fim. No entanto, a temporada do conjunto de Lisboa ainda não terminou, pois tem "duas finais" ainda por disputar.

Rafael Benítez, treinador do Chelsea
É uma noite especial para todos aqueles que estiveram envolvidos. Quando se joga uma final e se ganha, ficamos sempre felizes. Dito isto, estou no cargo há seis, sete meses, e na realidade não importa termos ganho ou não. Já tínhamos feito o nosso trabalho, diariamente. O mesmo acontece com o Benfica. É uma grande equipa e esse é um dos motivos porque esta noite não fomos tão fortes quanto gostaríamos. Em segundo lugar, já contamos com 69 jogos esta época, e em terceiro, tivemos de mudar a nossa abordagem um jogo, já que sabíamos que o Benfica iria pressionar alto no terreno. Queríamos aproveitar isso.

Estou muito agradado com o Fernando Torres. Algumas pessoas pensam que ele é uma das razões pelas quais fui escolhido para este cargo, e ele tem trabalhado arduamente na sua condição física e com a equipa técnica. Estou muito feliz por ele ter marcado e por termos ganho. O Benfica é uma boa equipa. É perigosa em lances de bola parada, possui um bom treinador e jogadores de qualidade. Eles sabem o que fazem e isso torna o nosso triunfo muito mais saboroso, pelo facto de termos vencido uma equipa deste calibre.

O Chelsea é uma equipa jovem e deu para ver no início [da época] que demorou algum tempo até se criar um grupo sólido. Lutaram e trabalharam muito, mas conseguiram alcançar o objectivo. O meu sucesso? Depende das vossas percepções. Quando juntam todas as peças, o que conseguimos em termos de manter a equipa unida e lidar com lesões, penso que estivemos bem. É preciso ganhar para as pessoas se aperceberem o que estamos a tentar fazer. Agora que ganhámos, espero que toda a gente compreenda.

Jorge Jesus, treinador do Benfica
Gostaria de dizer o quanto estou orgulhoso por estar aqui. Hoje o Benfica mostrou ao Mundo que seria um merecido vencedor, mostrou que tem muita qualidade. Os nossos adeptos mereciam a vitória pela paixão e lealdade que exibiram. Durante grande parte dos 90 minutos o Benfica foi melhor; mais bem organizado, técnica e tacticamente superior, frente a uma equipa do Chelsea muito boa. No entanto, o Chelsea é forte no contra-ataque e, apesar de na primeira parte o termos impedido de utilizar essa arma, na segunda tivemos menos sucesso nessa tarefa.

Estivemos mais perto de fazer o 1-0 e depois para fazer o 2-1 – pequenos detalhes fazem a diferença, especialmente na grande área. Mais uma vez, pela segunda vez em cinco dias, sofremos o golo decisivo em tempo de compensação. Mais uma vez, os jogadores sentiram que não mereciam perder. No final sentiam como se tivessem sido abatidos. No entanto, esta temporada ainda nos falta disputar duas finais: a final da Taça de Portugal e a luta pelo título de campeão português ainda não terminou.

Fiquei orgulhoso quando Johan Cruyff me abraçou no final e me disse que o Benfica foi uma verdadeira equipa, praticando um estilo de futebol que lhe agrada. Aprendi bastante com ele, por isso esse gesto significa muito para mim.