Newcastle e Pardew confiantes frente ao Benfica

O jogo da segunda mão com o Benfica é, para o treinador Alan Pardew, "o desafio mais importante em muito tempo" para o Newcastle, que vai lutar até ao fim pelo apuramento.

Melgarejo (à esquerda) disputa um lance com Papiss Cissé no encontro da primeira mão
Melgarejo (à esquerda) disputa um lance com Papiss Cissé no encontro da primeira mão ©AFP/Getty Images

Após ter fugido da zona de descida da Premier League inglesa no último fim-de-semana, graças a uma vitória ao cair do pano, o Newcastle United FC está agora pronto para disputar aquele que vai ser um dos mais importantes encontros da história recente do clube, apostado em dar a volta à desvantagem de 3-1 frente a um SL Benfica invicto desde Outubro.

Com uma vantagem mais confortável de cinco pontos sobre o primeiro clube abaixo da zona de descida, após baterem o Fulham FC no passado domingo, os "magpies" recebem os actuais líderes da Liga portuguesa na segunda mão dos quartos-de-final da UEFA Europa League e necessitam de uma vitória por 2-0 ou melhor para seguirem em frente.

O historial europeu e o prestígio das "águias" fazem deste um jogo muito aguardado por Alan Pardew e, com o apoio dos adeptos que lotarão por completo St James' Park, o treinador do Newcastle não descarta, de todo, a hipóteses de a sua equipa dar mesmo a volta à eliminatória. "Este é o maior jogo da história do clube em muito tempo. Merecemo-lo, depois do que fizemos [quinto lugar na Premier League] na época passada", referiu.

"Ter o estádio cheio é extremamente importante, como o Borussia Dortmund mostrou na noite de terça-feira. Os adeptos podem influenciar o desenrolar dos acontecimentos. Já o fizeram a nosso favor no domingo. Estávamos todos muito nervosos, com uma semana tão importante pela frente, e precisávamos da vitória, pelo que alcançá-la mesmo no último minuto foi muito especial. O ruído e a atmosfera gerada pelos nossos adeptos foram fundamentais."

A dimensão da tarefa que o Newcastle tem, agora, pela frente, porém, é bem grande: excepção feita a uma derrota por 2-0 na recepção ao poderoso FC Barcelona, na fase de grupos da UEFA Champions League, a 2 de Outubro, o Benfica não perde por uma margem de dois ou mais golos nas provas europeias em 90 minutos desde 24 de Novembro de 2010, data em que a formação lusa se viu derrotada por 3-0 no terreno do Hapoel Tel-Aviv FC. Ainda assim, embora um golo madrugador não fosse, de todo, mal recebido, Pardew garante que a sua equipa vai saber ser paciente.

"Mesmo se continuarmos a precisar de marcar dois golos a 20 minutos do apito final, o apuramento permanecerá em aberto", frisou. "Com os adeptos a empurrar-nos para a frente e com o hábito que temos adquirido de marcar golos perto do fim dos encontros, creio que constituiremos uma grande ameaça para o Benfica."

Do lado português, porém, Jorge Jesus espera um assalto inicial à baliza "encarnada" por parte da formação inglesa. "O Newcastle vai entrar muito forte e apostar num futebol directo, colocando muita pressão na nossa defesa", explicou o técnico do Benfica, que viu os seus pupilos vencerem os oito jogos que disputaram e todos os cinco encontros que jogaram esta época na fase a eliminar da UEFA Europa League. "Eles têm vários jogadores muito fortes no futebol aéreo, como [Papiss] Cissé e [Shola] Ameobi, que acredito que irão jogar lado-a-lado de início, por isso teremos de estar preparados para essa eventualidade."

O avançado Rodrigo, que restabeleceu a igualdade no encontro da primeira mão, em Lisboa, depois de Cissé ter inaugurado o marcador para o Newcastle e antes de golos de Lima e Óscar Cardozo selarem o triunfo, afirmou: "O Newcastle é muito forte no ataque, mas claro que vamos procurar encontrar uma forma de o neutralizar [Cissé] e os outros avançados, para garantirmos o apuramento. A nossa equipa está muito tranquila. Sabemos que estamos a atravessar um bom momento e que temos boas hipóteses de seguir em frente na prova."