Torres brilha no triunfo do Chelsea

Chelsea FC 3-1 FC Rubin Kazan
Fernando Torres abriu e fechou o marcador em Stamford Bridge e ajudou o Chelsea a ganhar vantagem de dois golos sobre o Rubin.

Victor Moses e Fernando Torres marcaram os golos do Chelsea
Victor Moses e Fernando Torres marcaram os golos do Chelsea ©Getty Images

Fernando Torres bisou e contribui decisivamente para que o Chelsea FC leve para a segunda mão dos quartos-de-final, na Rússia, uma vantagem confortável, depois de infligir ao FC Rubin Kazan a sua primeira derrota fora de portas na presente edição da UEFA Europa League.

O internacional espanhol e Victor Moses colocaram os londrinos a vencer por 2-0 à meia-hora de jogo e, embora um penalty convertido por Bebras Natcho ainda antes do intervalo tenha dado a ideia de um jogo mais equilibrado, Torres acabou por marcar, com um grande cabeceamento, o seu segundo golo na partida e deixar assim o Chelsea bem no comando da eliminatória.

Com seis alterações no "onze" em relação à equipa que entrou em campo para bater o Manchester United FC nos quartos-de-final da Taça de Inglaterra, há apenas três dias, o Chelsea demonstrou poderio físico ao entrar em campo a todo o gás, remetendo os visitantes ao seu sector mais recuado.

Torres tinha acabado de perder uma boa oportunidade quando, aos 16 minutos, inaugurou mesmo o marcador, na sequência de um passe longo David Luiz. Apesar de o domínio do ponta-de-lança não ter sido o melhor, a bola acabou por ficar à sua frente, permitindo que este acabasse por a conseguir tocar para o fundo das redes.

Excepção feita a um remate em arco de Natcho, o Rubin não mostrava ser a mesma equipa que nos 16 avos-de-final afastou o Club Atlético de Madrid, vencedor da última edição da prova. E a turma russa acabou, assim, por ver a sua desvantagem no marcador dilatada num lance em que Moses, de cabeça, quase surpreendeu o guarda-redes Sergei Ryzhikov. Torres porém, manteve o lance vivo, a defesa forasteira não conseguiu afastar a bola e esta voltou ao extremo nigeriano, que rematou certeiro, de primeira, ao ângulo superior direito da baliza adversária.

O Chelsea controlava o encontro por completo, mas, de repente, as coisas mudaram quando um remate de Cristian Ansaldi embateu no braço direito de John Terry e o árbitro assinalou uma grande penalidade que Natcho não desperdiçou.

O Rubin tinha, surpreendentemente, deixado no banco José Rondón, segundo melhor marcador ainda em prova da competição, mas a entrada em campo do avançado venezuelano no arranque do segundo tempo sugeria que a defesa da casa ia ter mais trabalho nos segundos 45 minutos. Mas, tirando um ou outro sobressalto, os visitantes nunca conseguiram criar perigo e foi Torres que, na outra área, correspondeu da melhor forma a um cruzamento de Juan Mata na esquerda, fixando o resultado em 3-1 a 20 minutos do apito final.