Tottenham e Basileia postos à prova

André Villas-Boas espera que os avançados do Tottenham compensem a falta de Jermain Defoe, enquanto Murat Yakin terá de lidar com ausências importantes na defesa do Basileia.

André Villas-Boas no treino do Tottenham na manhã de quarta-feira
André Villas-Boas no treino do Tottenham na manhã de quarta-feira ©Getty Images

André Villas-Boas espera que os avançados do Tottenham Hotspur FC compensem a ausência do influente Jermain Defoe, num jogo em que vai tentar ganhar vantagem na eliminatória dos quartos-de-final com o FC Basel 1893.

Defoe marcou quatro golos em oito jogos da UEFA Europa League e dez na Premier League, mas a ausência por lesão significa que os "spurs" terão de encontrar uma fonte alternativa para a finalização se quiserem passar às meias-finais. "O Jermaine tem uma lesão muscular e vai falhar os dois próximos jogos, talvez mesmo a segunda mão desta eliminatória", disse Villas-Boas. "É um duro golpe. Trata-se do mesmo músculo em que teve uma pequena rotura no mês passado. Será uma baixa de vulto porque tem mostrado tremenda qualidade nesta temporada."

As exibições sensacionais de Gareth Bale nas costas do avançado, com 20 golos já marcados no campeonato e na UEFA Europa League, têm mascarado as debilidades ofensivas do Tottenham. Quando cumpriu castigo na segunda mão dos oitavos-de-final frente ao FC Internazionale Milano, o conjunto de Londres só conseguiu evitar a eliminação no prolongamento, tendo perdido o jogo por 4-1 e conseguido o apuramento graças ao golo marcado fora. Desesperado por fugir à dependência do internacional galês, Villas-Boas desafiou Clint Dempsey e Emmanuel Adebayor a subirem de produção, depois de, em conjunto, os dois terem marcado apenas sete golos até agora.

"Dempsey e Bale já jogaram na frente", afirmou o técnico português. "Já tivemos períodos em que os avançados estavam lesionados e umas vezes lidámos bem com nisso, mas noutras não. Gareth tem confiança a jogar mais adiantado e estamos a tirar o melhor dele. Adebayor também tem ajudado a equipas, mas sem marcar muitos golos. Ele é o elo de ligação entre a equipa, adaptando-se a fazer coisas diferentes, por vezes à custa dos golos. Continuamos a ter confiança nele e vamos tentar ajudá-lo".

O Tottenham pode ser o favorito na eliminatória, mas Villas-Boas não subestima o Basileia, uma equipa habituada a surpreender adversários mais cotados. "Eles têm mais experiência europeia do que nós, com resultados tremendos diante de equipas com o Manchester United, o Sporting ou o Bayern", sublinhou o treinador de 35 anos. "Será difícil porque agora as oito equipas acreditam que podem conquistar o troféu. A chave será a motivação e qualidade individual. Nós temos melhores jogadores, mas eles têm mais experiência. Já disputaram a Champions League e têm jogadores no plantel com títulos conquistados. O passado recente torna-os um dos favoritos. Eliminaram o Zenit [nos oitavos-de-final], pelo que esperamos um jogo complicado."

No Basileia, são os castigos e não as lesões a preocupar o técnico Murat Yakin antes da partida em White Hart Lane, pois os laterais Park Joo Ho e Philipp Degen estão suspensos, tal como o médio Marcelo Díaz. "Esta situação não me satisfaz, pois são jogadores que têm estado bem durante a época", referiu o treinador de 38 anos. "Mas a temporada é longa e podem sempre acontecer lesões ou castigos. Temos bons substitutos e acreditamos neles. Será uma oportunidade para ver o que podem fazer."

O antigo internacional suíço, que ainda não sabe se poderá contar com Cabral, prepara-se igualmente para defrontar mais um adversário de qualidade, depois de já ter eliminado o FC Dnipro Dnipropetrovsk e o FC Zenit St Petersburg nas rondas anteriores. "O Tottenham é muito forte. Por alguma razão estamos na Europa League", realçou. "Eles são favoritos, mas chegámos aos quartos-de-final e queremos seguir em frente. Sabemos da força deles a jogar em casa. Vai ser um excelente desafio, mas seremos competitivos. Não viemos apenas para defender; precisamos de marcar um golo fora."