Bordéus rendido à qualidade do Benfica

"Defrontámos uma equipa muito boa", disse Cheick Diabaté após o Bordéus falhar a presença nos quartos-de-final eliminado pelo Benfica, pelo qual Jardel adoptou um discurso ambicioso.

Jardel em duelo com Nicolas Maurice-Belay, do Bordéus
Jardel em duelo com Nicolas Maurice-Belay, do Bordéus ©AFP/Getty Images

Os jogadores do FC Girondins de Bordeaux destacaram a qualidade do SL Benfica, após sofrerem uma derrota por 3-2 na segunda mão, que confirmou o apuramento do clube luso para os quartos-de-final. Apesar de o avançado Nicolas Maurice-Belay ter enfatizado que os anfitriões "não conseguiram aproveitar as oportunidades criadas", foi rápido a elogiar a "experiência" do suplente Óscar Cardozo, autor de dois golos, enquanto Cheick Diabaté acrescentou: "Defrontámos uma equipa muito boa". Entretanto, o outro autor de um golo do Benfica na noite, Jardel, avisou que a sua equipa "ambiciona vencer todas as competições em que está envolvida".

Nicolas Maurice-Belay, avançado do Bordéus
Já estávamos em desvantagem por um golo, após a primeira mão, e sabíamos que se sofrêssemos outro teríamos que marcar três. Por isso é que quiséssemos pressionar desde o início mas, infelizmente, não fomos capazes de concretizar as oportunidades que tivemos. Depois disso, sofremos um golo que abalou o nosso moral um pouco, mas continuámos a tentar marcar e a fazer a diferença. Conseguimos isso, mas de cada fez que isso acontecia, eles marcavam de seguida.

Cardozo é um jogador experiente, tal como todos os jogadores do Benfica. Foi isso que fez a diferença no conjunto das duas mãos. Tivemos mais oportunidades que eles nos dois jogos, mas eles marcaram mais por causa da experiência que possuem.

No entanto, deixamos a competição com alguns pontos positivos. As pessoas não acreditavam em nós e provámos que estavam erradas, indo mais longe do que qualquer outra equipa francesa. O que é estranho é que ainda não conseguimos jogar a este nível no campeonato, mas talvez agora que já não estamos na Europa League tenhamos energia suficiente para realizar o mesmo tipo de exibições em casa.

Cheick Diabaté, avançado do Bordéus
O problema foi termos perdido a primeira mão, e isso infelizmente tornou a nossa tarefa mais difícil. Se tivéssemos alcançado um bom resultado na primeira mão, este jogo teria sido mais fácil para nós.

Penso que o Bordéus jogou muito bem. Tentámos manter a compostura e é precisão esquecer que estávamos perante uma equipa muito boa. Eles criaram oportunidades e marcaram, e foi um jogo difícil, mas tentámos dar o nosso máximo. Esta noite as coisas correram-nos mal, mas precisamos de tentar ganhar o próximo jogo, frente ao Toulouse.

Jaroslav Plašil, médio do Bordéus
Realizámos um jogo sólido, com bastante paixão e intenção ofensiva, mas sofremos o primeiro golo demasiado rápido, e isso prejudicou-nos um pouco. Conseguimos empatar e recomeçámos a acreditar, mas depois sofremos o segundo. Depois disso, foi praticamente uma missão impossível, já que teríamos de marcar quatro ou cinco.

A exibição foi animadora, dado o nível elevado da competição, e seria bom repeti-la até ao final da temporada. Deu para ver que todos estavam desejosos de fazer um bom jogo e ar tudo pela equipa; isso é que é importante, mesmo que tenhamos sido um pouco perdulários. É um bom sinal para o futuro.

Jardel, defesa do Benfica
Tínhamos um objectivo em mente, que era o apuramento. Conseguimos ganhar um jogo que sabíamos de antemão que ia ser muito complicado. O Bordéus é uma equipa muito forte, mas tive a sorte de marcar o primeiro golo e as coisas tornaram-se um pouco mais fáceis depois disso. Ficámos mais calmos e merecemos por completo a vitória.

O treinador tem estado muito bem na forma como gere o plantel. Dá minutos de jogo a todos os jogadores, e todos eles têm estado à altura das exigências. Temos uma grande equipa e ambicionamos ganhar todas as competições em que estamos envolvidos.

Topo