Basileia fecha a porta ao Dnipro

Dnipro 1-1 FC Basel 1893 (total: 1-3)
Uma grande penalidade de Fabian Schär refreou o renascer do Dnipro, numa noite gélida na Ucrânia em que as duas equipas acabaram com dez.

Roman Zozulya, do Dnipro, em disputa com Park Joo Ho, do Basileia.
Roman Zozulya, do Dnipro, em disputa com Park Joo Ho, do Basileia. ©AFP/Getty Images

A grande penalidade apontada por Fabian Schär acabou com as aspirações do FC Dnipro Dnipropetrovsk na UEFA Europa League, ao fazer o 1-1 e qualificando o FC Basel 1893 para os oitavos-definal, onde vai defrontar o FC Zenit St Petersburg.

Com as duas equipas reduzidas a dez homens em campo, Roman Zozulya foi expulso por derrubar Valentin Stocker na grande área do Dnipro, castigo máximo que Schär converteu batendo Jan Laštůvka com um pontapé rasteiro para a esquerda do guarda-redes. Cinco minutos antes, também na conversão de um penalty, Yevhen Seleznyov enganou Yann Sommer também com um pontapé rasteiro, mas a vantagem de 2-0 que o Basileia lograra no primeiro jogo revelou-se decisiva para o desfecho da eliminatória.

Ficou, contudo, a sensação de que o Dnipro não fez tudo o que podia para inverter a tendência da eliminatória quando Nikola Kalinić foi expulso dez minutos após ter saltado do banco, depois de se ter envolvido com Schär. O Basileia teve oportunidade para se adiantar no marcador nos primeiros dez minutos mas Mohamed Salah não conseguiu bater Jan Laštůvka, saindo o remate fora do alvo. Posto isto, foi a equipa de Juande Ramos quem cresceu no jogo, mas sem conseguir abrir a defesa contrária.

Uma imagem que fica do jogo é a de Zozulya, de joelhos, a amaldiçoar a sua sorte, depois de um remate em vólei ter saído à malha lateral da baliza de Sommer, já batido. A falta de pontaria voltou no remate em arco de Seleznyov, que caiu sobre a baliza, seguido, no início da segunda parte, de um remate de Giulano que acabou desviado para longe. As coisas ficaram ainda piores após a expulsão de Kalinić mas os números reequilibraram-se quando Fabian Frei foi expulso por parar com o braço um remate de Zozulya.

Seleznyov tentou o golo, mas falhou só com Sommer pela frente, enquanto na outra baliza a calma de Schär ditou o desfecho da eliminatória.