Anji agradece a Eto'o

FC Anji Makhachkala 2-0 BSC Young Boys
Um bis de Samuel Eto'o, na segunda parte, deu a vitória à equipa russa e manteve a sua invencibilidade na presente edição da prova.

Lassana Diarra, do Anji, em duelo com Christian Schneuwly, do Young Boys
Lassana Diarra, do Anji, em duelo com Christian Schneuwly, do Young Boys ©AFP/Getty Images

O FC Anji Makhachkala prossegue o seu impressionante momento de forma nesta edição da UEFA Europa League, após vencer o BSC Young Boys por 2-0.

Os anfitriões não perdiam há sete jogos europeus esta época, depois do empate 1-1 com a Udinese Calcio, na jornada anterior, e prolongaram essa série graças a um bis de Samuel Eto'o frente a uma equipa suíça que sempre pareceu aquela mais provável de marcar durante os primeiros 60 minutos.

Os visitantes estavam desejosos de corrigir a derrota caseira frente ao Liverpool FC, por 5-3, na primeira jornada, e dominaram confortavelmente o período inicial. O seu espírito empreendedor quase foi recompensado aos sete minutos, quando Alain Nef cabeceou o canto de Moreno Costanzo, mas Oleg Shatov afastou em cima da linha-de-golo.

A"águias" tiveram que esperar 17 minutos pelo seu primeiro lance de verdadeiro perigo, mas João Carlos rematou por cima e os jogadores de Guus Hiddink continuaram remetidos ao seu meio-campo. Uma boa movimentação do Young Boys quase resultou no primeiro golo, perto da meia-hora, mas uma excelente estirada de Vladimir Gabulov negou o golo a Jan Lecjaks, antes de João Carlos e Christopher Samba terem desperdiçado oportunidades para os anfitriões, atirando ao lado.

Os forasteiros mantiveram o ritmo depois do intervalo, com Gonzalo Zárate a dar o primeiro aviso, com um remate ao lado. No entanto, a intervenção do argentino, agora no seu sector defensivo, resultou no golo inaugural, depois de ter jogado com a mão a bola cruzada por Yuri Zhirkov. Eto'o, de penalty, não falhou.

O avançado podia ter bisado mas, isolado, cabeceou à barra. Nef falhou uma ocasião semelhante, e Juhani Ojala, com espaço, também atirou ao lado, à medida que a equipa de Martin Rueda perdia discernimento. Eto'o não teve preocupações dessa ordem, selando o resultado final após cruzamento de Shatov, já em tempo de compensação.