O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Plzeň mais forte que Académica

FC Viktoria Plzeň 3-1 Académica
O líder da Liga checa até chegou ao intervalo a perder, golo de Wilson Eduardo, mas passeou superioridade no segundo tempo.

Plzeň mais forte que Académica
Plzeň mais forte que Académica ©Getty Images

A A. Académica de Coimbra assinalou o seu regresso às competições europeias, após uma ausência de 41 anos, com uma derrota no terreno do FC Viktoria Plzeň, por 3-1, em jogo da primeira jornada do Grupo B da UEFA Europa League.

A equipa dirigida por Pedro Emanuel chegou ao intervalo em vantagem no marcador, pese embora o enorme domínio da formação da casa, através de um contra-ataque concluído por Wilson Eduardo. Contudo, uma entrada de rompante dos checos na segunda parte trouxe-lhes dois golos, da autoria do ex-sportinguista Pavel Horváth e de Michal Ďuriš, pelo que foi então a vez da Académica correr atrás do prejuízo.

O Plzeň entrou fortíssimo no encontro, tendo criado duas ocasiões de golo nos primeiros dez minutos. Aos seis, Jakub Hora rematou contra um adversário e, dois minutos volvidos, foi a vez de František Rajtoral se isolar pelo lado direito e rematar para grande defesa de Ricardo para canto.

No entanto, naquela que foi a sua única ocasião de golo no primeiro tempo, a Académica conseguiu chegar mesmo ao golo. Selim Cissé desceu pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para a zona frontal, onde Wilson Eduardo se antecipou ao guarda-redes Matúš Kozáčik e desviou a bola para o fundo das redes.

O Plzeň ripostou de imediato e, no lance seguinte, o defesa-central Václav Procházka, já na pequena-área, cabeceou à trave, deixando o aviso para o que se seguiria. Ainda antes do intervalo, valeu Nivaldo à Académica para bloquear, já na pequena área, um remate em esforço de Marek Hanousek.
A segunda parte começou aos 47 minutos com o golo do empate, num lance no qual o guarda-redes Ricardo não sai isento de culpas, uma vez ter perdido o lance nas alturas com Hora, na sequência do cabeceamento de Horváth, pelo que a bola acabou por entrar directamente, sem que o guardião a socasse para longe.

Dez minutos depois surgiu o 2-1, num cruzamento perfeito de David Limberský emendado de cabeça por Michal Ďuriš à boca da baliza, num lance em que Ricardo já nada pôde fazer. E, aos 62 minutos, o terceiro tento só não surgiu porque Flávio Ferreira se substituiu a Ricardo sobre a linha de golo, a remate do autor do segundo tento.

De tanto porfiar, os checos chegaram ao terceiro, com Rajtoral a antecipar-se de cabeça a Nivaldo e a bater Ricardo, após cruzamento de Hanousek do lado esquerdo.