Sarajevo comemora eliminação do Levski

O treinador Dragan Jović classificou o triunfo do Sarajevo sobre o Levski de Sófia como "uma grande vitória para o clube, cidade e país", deixando a Bulgária sem clubes nas competições europeias.

Os jogadores do Sarajevo comemoram um golo frente ao Levski de Sófia
Os jogadores do Sarajevo comemoram um golo frente ao Levski de Sófia ©Fedja Krvavac

O treinador Dragan Jović falou de "uma grande vitória para o clube, a cidade e o país", após o FK Sarajevo eliminar o PFC Levski Sofia e ficar mais perto dos "play-off" da UEFA Europa League.

Os bósnios tinham perdido por 1-0 na primeira mão, em Sófia, mas conseguiram a reviravolta com os golos madrugadores de Said Husejinović e Asmir Suljić, embora os búlgaros, que disputaram a UEFA Champions League de 2005/06 e já participaram nos quartos-de-final da Taça UEFA, tenham voltado a ficar em vantagem antes do intervalo, graças a uma grande penalidade marcada por Basile de Carvalho. Desta forma, a equipa treinada por Ilian Iliev passava para a frente devido aos golos marcados fora de casa, mas Husejinović, antigo médio do SV Werder Bremen, estabeleceu o resultado final de 3-1 aos 62 minutos e permitiu agendar o embate com o FK Zeta na terceira pré-eliminatória.

"Começámos a primeira parte de forma brilhante", destacou o treinador Jović. "Mas, depois de marcarmos dois excelentes golos, perdemos a concentração. Cometemos muitos erros e o Levski aproveitou. Depois do intervalo voltámos a jogar bem e conseguimos uma grande vitória para o nosso clube, a nossa cidade e para o nosso país. É um presente para os nossos adeptos, que nos apoiaram muito. O que podemos prometer para o próximo jogo? Que vamos voltar a lutar até aos últimos segundos. Já conseguimos um resultado inacreditável e vamos desfrutar dos próximos jogos."

O Sarajevo terá agora de ultrapassar o Zeta para estar no sorteio do "play-off", a 10 de Agosto. A Bósnia e Herzegovina nunca conseguiu colocar uma equipa na fase de grupos de uma competição europeia. A saída do Levski foi o culminar de uma jornada negra para a Bulgária, que viu os quatro representantes serem eliminados das competições europeias.