Diouf evita novo desaire alemão

R. Standard de Liège 2-2 Hannover 96
Após ter perdido por 2-0 contra o mesmo adversário na fase de grupos, a equipa alemã conquistou um resultado positivo.

Mame Diouf festeja o golo do empate do Hannover em Liège
Mame Diouf festeja o golo do empate do Hannover em Liège ©AFP/Getty Images

Um golo de Mame Diouf, na segunda parte, permitiu ao Hannover 96 conquistar um empate (2-2) no terreno do R. Standard de Liège, na primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Europa League. 

O Standard continua, assim, sem perder na competição, mas sofreu os primeiros golos em casa na UEFA Europa League de 2011/12 e vai ter uma tarefa complicada na próxima semana para continuar em prova. O Hannover, com Sérgio Pinto a titular, colocou-se em vantagem contra a corrente de jogo com um golo de Lars Stindl, de penalty, aos 22 minutos, mas a equipa belga foi rápida a reagir, com Yoni Buyens e Mohamend Tchite a darem a volta ao marcador. No entanto, Diouf marcou o seu quarto golo em oito jogos desde Janeiro e deixou a formação germânica em vantagem na eliminatória.  

O Hannover teve um início de jogo complicado, muito por culpa de Gohi Bi Cyriac, e parecia que ia ter muitas dificuldades para não repetir a derrota por 2-0 sofrida contra o Standard na fase de grupos. No entanto, tudo mudou quando Konstantin Rausch foi derrubado dentro da área por Kanu. Grande penalidade que Stindl converteu no 1-0. 

Em desvantagem, a equipa de José Riga foi lesta a reagir e, em menos de oito minutos, deu a volta ao resultado. Tudo começou num contra-ataque conduzido por Tchite, cujo cruzamento serviu na perfeição para o remate de Buyens. Pouco depois, o protagonista da assistência tornou-se no autor do segundo golo, graças a um cabeceamento bem-sucedido após um pontapé de canto de Serge Gakpe. 

O intervalo quebrou a pressão dos donos da casa e o Hannover aproveitou para mostrar mais compostura na segunda parte. Dois remates de longe de Stindl ameaçaram o empate, com o médio a iniciar também a jogada da igualdade. A bola chegou a Didier Konan Ya, que serviu para uma conclusão fácil de Diouf. Com o final a aproximar-se, Kanu esteve perto do terceiro golo após um livre de Sébastien Pocognoli, mas o guarda-redes Ron-Robert Zieler estava no sítio certo. 

Zieler apanhou um grande susto bem perto do final, quando um cabeceamento de Felipe sobrou para Tchite, que falhou incrivelmente o terceiro golo. 

Topo