Udinese brilha e afasta PAOK

PAOK FC 0-3 Udinese Calcio (total: 0-3)
Os visitantes marcaram dois golos nos primeiros 15 minutos e passaram aos oitavos-de-final com um dos seus triunfos europeus mais folgados.

Danilo (segundo à direita) comemora o primeiro golo com Medhi Benatia
Danilo (segundo à direita) comemora o primeiro golo com Medhi Benatia ©Getty Images

A Udinese Calcio garantiu a passagem aos oitavos-de-final da UEFA Europa League em Salónica, terminando de forma surpreendente com a invencibilidade do PAOK FC nas competições europeias, que durava há 12 jogos.

O caminho para o maior triunfo de sempre dos italianos fora de casa nas provas da UEFA foi desbravado nos primeiros 15 minutos, com golos de Danilo e Antonio Floro Flores. No segundo tempo, Maurizio Domizzi converteu uma grande penalidade e confirmou o encontro com o AZ Alkmaar ou o RSC Anderlecht nos oitavos-de-final. Diego Fabbrini vai falhar o encontro da primeira mão por ter sido admoestado após o intervalo.

Quando Apostolos Giannou desferiu um remate da fora da área e testou a atenção de Samir Handanovič, que tinha sido quase um espectador no nulo da primeira mão, o apuramento dos visitantes parecia bastante improvável. Os italianos, tal como a equipa da casa, tinham ficado em branco nos dois últimos jogos, por isso foi com grande surpresa que o conjunto orientado por Francesco Guidolin marcou dois golos antes de atingido o primeiro quarto-de-hora.

O primeiro golpe foi desferido por Danilo, que subiu mais alto que o estático Stefanos Athanasiadis para desviar o pontapé de canto de Giovanni Pasquale e apontar o primeiro golo ao serviço dos "zebrette". Foram precisos apenas mais nove minutos para Flores Floro fazer o 2-0 com um disparo fortíssimo que Dario Krešić não conseguiu desviar.

A resposta do PAOK no primeiro tempo surgiu através do defesa italiano Bruno Cirillo, que cabeceou ao poste, na sequência de um canto de Pablo Garcia, e de Giannou, que rematou ao lado. Três cartões amarelos nos primeiros 30 minutos, todos a punir faltas, simbolizavam bem a frustração dos gregos.

Se ainda havia alguma réstia de esperança ao intervalo de que a equipa da casa conseguisse dar a volta ao marcador, ela desapareceu por completo aos seis minutos do segundo tempo, com a equipa de László Bölöni a voltar a entrar muito mal no jogo. Miroslaw Sznaucner puxou Floro Flores, quando estava a ser pressionado pelo atacante da Udinese, permitindo a Domizzi estabelecer o resultado final com uma grande penalidade.