Golo de Di Natale afasta Celtic

Udinese Calcio 1-1 Celtic FC
Os italianos conseguiram o ponto de que necessitavam para transporem o Grupo I, graças ao remate à meia-volta de Antonio Di Natale.

Antonio Di Natale empata a partida para a Udinese
Antonio Di Natale empata a partida para a Udinese ©Getty Images

A Udinese Calcio apurou-se para os 16 avos-de-final da UEFA Europa League a expensas do Celtic FC, após um empate 1-1 no jogo entre as duas equipas para a derradeira jornada do Grupo I.

Necessitando de uma vitória para se apurar juntamente com o Club Atlético de Madrid, os visitantes colocaram um pé no sorteio de sexta-feira quando, aos 29 minutos, Gary Hooper os adiantou no marcador. Contudo, no primeiro minuto de descontos da primeira parte, Antonio Di Natale, com um remate à meia-volta, apontou aquele que viria a ser o golo decisivo.

Só o rodopio da bola preveniu o Celtic de se ver em desvantagem nos instantes iniciais, após Di Natale ter acorrido a um passe de Pablo Armero e o seu "chapéu" ter saído ligeiramente ao lado. Se esse lance deixara o Celtic em sentido, a verdade é que, a meio da primeira parte, foi a Udinese quem pôde respirar de alívio, após Giorgos Samaras ter servido Hooper, só que o dianteiro de 23 anos, habitualmente bastante hábil em lances deste género, rematou ao lado.

Todavia, o Celtic rapidamente conseguiu a vantagem que procurava. Samaras voltou a criar a ocasião, efectuando um cruzamento que Samir Handanovič sacudiu a soco contra o companheiro de equipa Joel Ekstrand, deixando a Hooper a mais fácil das tarefas, pois este só teve de empurrar a bola para a baliza entretanto desguarnecida.

Abalada pelo tento adversário e pela perda de Emmanuel Badu devido a lesão, a Udinese empataria a contenda à beira do intervalo. Di Natale, o melhor marcador dos "zebrette" na Série A com dez tentos, assinalou uma rara aparição na fase de grupos com um poderoso remate à meia-volta, inadvertidamente possibilitado por uma ineficaz tentativa de alívio de cabeça por Cha Du-Ri.

Di Natale, conhecido por ser um dianteiro bastante dinâmico, teve outro remate perigoso aos 63 minutos, ao qual Fraser Forster correspondeu com uma boa defesa. Quando a bola foi devolvida para a área, o cabeceamento de Mauricio Isla voltaria a ser defendido pelo guardião escocês. As oportunidades sucediam-se agora com maior cadência, com Kwadwo Asamoah e Cha Du-Ri a verem os respectivos remates serem devolvidos pelos ferros praticamente de seguida.

Ainda antes do final, Di Natale veria Forster negar-lhe o golo por duas vezes no intervalo de poucos segundos, pese embora isso já de nada importasse, uma vez que a Udinese se apuraria mais confortavelmente do que o resultado final sugere.