PSV quer explorar fraquezas do Benfica

O treinador do PSV, Fred Rutten, diz que a defesa do Benfica é "uma fraqueza a explorar", mas o homólogo Jorge Jesus insiste que não se importa de sofrer golos se ganhar o jogo.

Fred Rutten (ao centro) no treino do PSV em Lisboa
Fred Rutten (ao centro) no treino do PSV em Lisboa ©Getty Images

O Benfica até pode ter nas competições europeias o principal objectivo da época, agora que acabou o sonho da revalidação do título em Portugal, mas o PSV Eindhoven acredita que o adversário tem “fraquezas que podem ser exploradas”.

Derrotado pelo novo campeão FC Porto no passado domingo, o Benfica concentra-se, agora, na primeira mão dos quartos-de-final com o PSV, equipa para a qual perdeu a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1987/88. Por seu lado, a equipa de Fred Rutten também chega a Lisboa com as provas internas bem frescas na memória, já que perdeu a liderança da Liga holandesa no último fim-de-semana.

“Apesar de o Benfica estar totalmente concentrado na UEFA Europa League, nós ainda estamos a lutar pela Liga e pela competição europeia e, por isso, a nossa postura vai ser de encarar um jogo de cada vez”, disse o treinador do PSV. “O nosso objectivo é vencer. Respeitamos muito o Benfica, mas sabemos que o contrario também é válido.”

“O Benfica é a equipa mais forte que defrontámos até agora. Nos jogos em casa ataca imenso mas, às vezes, esquece-se de defender e é por isso que sofre tantos golos. Individualmente, o Benfica tem jogadores muito fortes, que podem decidir jogos. Mas, como todas as equipas, também tem os seus pontos mais fracos são esses que vamos tentar explorar”, acrescentou Rutten.

No entanto, essas limitações não têm sido assim tão sentidas, já que os "encarnados" perderam apenas um dos últimos 12 jogos europeus disputados no Estádio da Luz. “É importante ter o apoio dos adeptos”, admitiu Jorge Jesus, que volta a poder contar com o defesa-direito Maxi Pereira. “Dizem-nos que o estádio deve encher e isso é uma excelente notícia.”

“Se sofrermos golos e ganharmos, não me importo porque a vitória é o mais importante. Vencer por 1-0 é melhor do que por 2-1: o primeiro objectivo é vencer. O PSV é uma excelente equipa, uma das melhores da Holanda. Tem ambições nesta competição, mas nós acreditamos que podemos conseguir o apuramento”, garantiu o técnico.

“Mesmo antes do jogo com o FC Porto, já sabíamos que o campeonato estava perdido. Queríamos vencer o FC Porto por uma questão de honra. Agora jogamos outra competição e qualquer uma das equipas que está nos quartos-de-final tem hipóteses de a vencer. O Benfica não chega a uma final europeia há muitos anos, mas antes disso temos de pensar em chegar às meias-finais. Nessa altura, o caminho ficará mais fácil”, afirmou Jesus.

Rutten, por seu lado, não pode contar com o lesionado Ola Toivonen que, juntamente com Marcus Berg, forma uma dupla de ataque descrita por Jesus como “um dos pontos mais fortes do PSV”. Stanislav Manolev deve recuperar a tempo do jogo.

“Conhecemos bem o Benfica. Sabemos quais são os seus pontos fortes e fracos”, garantiu o defesa do PSV Marcelo. “A este nível, não há favoritos. A equipa que cometer menos erros vai conseguir o apuramento. Nós estamos prontos. Conhecemos bem os avançados que vamos defrontar: são muito rápidos e fortes na finalização e, por isso, temos de estar muito atentos a todas as suas movimentações.”

Topo