Goleada e primeiro lugar para o CSKA

PFC CSKA Moskva 5-1 FC Lausanne-Sport
Já apurada, a formação moscovita deu seguimento à sua veia goleadora e selou a conquista do primeiro lugar no Grupo F.

Sekou Oliseh apontou um dos golos da vitória do CSKA
Sekou Oliseh apontou um dos golos da vitória do CSKA ©Getty Images

Já apurado, o PFC CSKA Moskva bateu, sem dificuldades, o FC Lausanne-Sport por 5-1, e confirmou o primeiro lugar no Grupo F.

A formação moscovita havia marcado sempre três golos em cada um dos quatro jogos já disputados na presente fase de grupos e, desta feita, demorou 40 minutos a chegar a tal marca, com remates certeiros de Tomáš Necid, Sekou Oliseh e Zoran Tošić. Alan Dzagoev e Necid seguiram o exemplo dos colegas no segundo tempo, tornando o CSKA no melhor ataque da competição, com 17 golos marcados, antes de Abdul Carrupt apontar o golo de honra do Lausanne.

Apesar de ter já o apuramento garantido, o CSKA mostrou-se, desde o primeiro minuto, determinado em dar espectáculo no Arena Khimki. Necid deixou um primeiro aviso do que iria ser a noite aos 14 minutos, num remate de primeira, ligeiramente por cima, após excelente passe de Oliseh.

Os dois jogadores voltaram a combinar bem, pouco depois, no lance do primeiro golo. Necid fugiu por entre dois defesas para acorrer ao passe de Oliseh e bater Mickael Castejon, fazendo o 1-0. Dzagoev rematou, de seguida, à trave, antes de Tošić desperdiçar, também ele, uma boa oportunidade para elevar a vantagem dos moscovitas, o que Oliseh acabou por fazer, instantes mais tarde. Servido por Dzagoev, o liberiano correu mais rápido que os adversários, entrou na área do Lausanne, fintou Castejon e enviou a bola para o fundo da baliza deserta.

Castejon brilhou aos 27 minutos, negando o golo a Georgi Schennikov, mas voltou a ser batido cinco minutos antes do intervalo, desta feita por Tošić, que aguentou bem a tentativa de desarme de dois adversários e finalizou de pé esquerdo. Já na segunda parte, Tošić acertou, também ele, nos postes, estavam decorridos 54 minutos. Porém, sentia-se que o quarto golo da turma da casa era apenas uma questão de tempo. Foi Dzagoev quem acabou por o assinar, aos 71 minutos. Necid, de cabeça, bisou na partida, a nove minutos do fim, apontando o quinto e último golo da sua equipa, mas houve ainda tempo para Carrupt, vindo do banco, apontar, já no período de descontos, o golo de honra do Lausanne, na sequência de um livre, batendo Igor Akinfeev com um remate rasteiro, depois de dominar a bola no peito.