Madrid festeja vitória do Atlético

Os adeptos do Atlético de Madrid festejaram nas ruas da capital espanhola o fim da malapata do clube em finais europeias, marcado pelo tento de Diego Forlán no minuto 116 da partida disputada em Hamburgo.

Adeptos do Atlético festejam o triunfo na UEFA Europa League em Madrid
Adeptos do Atlético festejam o triunfo na UEFA Europa League em Madrid ©Getty Images

Em completo delírio, milhares de adeptos do Club Atlético de Madrid juntaram-se perto da fonte de Neptuno, em pleno centro da capital espanhola, para festejar a emocionante vitória na final da UEFA Europa League, ante o Fulham FC.

Adeptos de todas as idades dirigiram-se para a fonte perto do Museu do Prado, local onde o clube festeja os títulos, dançando e exibindo bandeiras e cachecóis, lançando foguetes e homenageando toda a equipa, com destaque para Diego Forlán, autor dos dois golos na vitória por 2-1 em Hamburgo. Esta foi a primeira festa na Neptuno desde a "dobradinha" alcançada em 1995/96 e o primeiro triunfo na Europa em 38 anos.

"Tive de vir aqui e festejar pois não vinha há muito tempo", disse Gregorio Hernández Villamor, um polícia reformado de 84 anos e adepto do Atlético que esqueceu por momentos os seus problemas nas costas para festejar este triunfo. "Esta é uma das melhores vitórias alcançadas e um importante passo em frente para o clube", acrescentando ainda que tem pena dos adeptos do Fulham, pois gosta da Inglaterra e é um grande admirador do antigo avançado do clube, Fernando Torres, que agora joga no Liverpool FC.

Cânticos de "Atleti! Atleti!" e "uruguaio! uruguaio!" foram ouvidos numa praça cheia de gente, onde um palco e um ecrã gigante foram colocados para os festejos desta quinta-feira. Centenas de outros adeptos, por seu lado, percorreram a cidade de carro, exibindo as vestes da equipa onde joga Simão e Tiago, apitando e acenando a todos os outros que festejavam nas ruas.

César Martínez, empresário fabril de 39 anos que se deslocou à Neptuno com sete membros da sua família, onde se incluíram as quatro filhas, todas trajadas com camisolas e cachecóis do Atlético, falava em orgulho e sofrimento por ser um adepto de um clube tão sofredor como este. "Esta é uma vitória histórica", afirmou. "Vim aqui em 1996 e é uma sensação muito boa estar de volta".

A alegria dos Atlético foi ainda especial para aqueles que, a caminho da Neptuno, passaram pela fonte da Praça Cibeles, local para onde os rivais do Real Madrid CF se dirigem aquando dos seus festejos. "E quem não salta é do Real", cantavam aos saltos muitas centenas.

Com os adeptos do Real Madrid sempre prontos para chamar aos vizinhos de "Patético de Madrid", a reputação de clube perdedor surgiu pela maneira como sofreram um golo totalmente inesperado no prolongamento da final na Taça dos Campeões Europeus em 1973/74, ante o FC Bayern München, e que obrigaria a uma finalíssima, que perderiam por 4-0. O clube recebeu a alcunha dos "el pupas" ("os infelizes") e os seus adeptos de "Los Sufridores" ("os sofredores"). No entanto, depois deste triunfo, todo esse sofrimento poderá ter valido a pena.

Topo