Cissé confiante para Roma

Djibril Cissé marcou o tento da vitória do Panathinaikos, por 3-2, sobre a Roma, e disse não haver razões para ansiedade na segunda mão, "apesar de a equipa italiana ser forte em casa".

Djibril Cissé festeja o golo da vitória sobre a Roma
Djibril Cissé festeja o golo da vitória sobre a Roma ©AFP

Djibril Cissé, o jogador que deu o triunfo ao Panathinaikos FC, falou de uma "importante vitória", depois do emblema grego ter derrotado a AS Roma, por 3-2, num emocionante encontro em Atenas, mas alertou que tudo ainda está por decidir.

Cissé concretizou a reviravolta do Panathinaikos no marcador com um cabeceamento perto do fim, colocando também um ponto final numa série de 20 jogos sem perder das equipas italianas no Estádio Olímpico OACA Spiros Louis, em partida a contar da primeira mão dos 16 avos-de-final da UEFA Europa League. "Estou muito satisfeito com o nosso desempenho e pela maneira como reagimos", disse o internacional francês no final do encontro. "Foi uma vitória muito importante, apesar de nada estar decidido. Vem aí um jogo muito difícil no Stadio Olimpico".

O jogo da segunda mão em Roma, na quinta-feira, promete ser um embate emocionante, tal como a partida de Atenas, na qual o Panathinaikos esteve duas vezes a perder ante a equipa de Claudio Ranieri. Mas, mesmo assim, logrou vencer graças ao tento de Cissé aos 89 minutos. Com dois golos fora, a eliminatória está ligeiramente inclinada para o lado da Roma, mas isso não preocupa Cissé. "Não estamos ansiosos, apesar de a Roma ser muito forte em casa", acrescentou. "Nós somos também muito fortes fora de casa e vamos lá para tentar o apuramento".

O defesa do Panathinaikos, Josu Sarriegi, assegurou que foi o espírito de equipa que decidiu a contenda. "Foi o nosso coração que venceu este jogo", disse o espanhol ao UEFA.com. "Por vezes o futebol é um jogo surpreendente e este foi um exemplo disso". Na primeira parte, Mirko Vučinić colocara a Roma na frente com um colocado remate em arco, mas Dimitris Salpingidis saltou do banco para empatar à boca da baliza. Uma grande penalidade batida por David Pizarro a nove minutos do fim colocou os italianos de novo na frente, mas foi outro suplente do Panathinaikos, Lazaros Hristodoulopoulos, quem empatou instantes antes do cabeceamento decisivo de Cissé, a cruzamento de Salpingidis. "Penso que depois do penalty e de estarmos a perder por 2-1, ninguém imaginaria que daríamos a volta, mas nunca baixámos os braços e, com alguma sorte à mistura, marcámos dois golos", continuou Sarriegi. "Não consigo explicar como o conseguimos, mas o facto é que o fizemos e este resultado é muito importante do ponto de vista psicológico para o encontro em Itália. Temos boas possibilidades de seguir em frente, apesar do jogo em Roma ser muito complicado. Acreditamos em nós".