Recital germânico

Athletic Club 0-3 Werder Bremen
Claudio Pizarro, Naldo e Markus Rosenberg deram a vitória à equipa de Hugo Almeida e confirmaram a liderança do Grupo L.

Recital germânico
Recital germânico ©UEFA.com

Três golos apontados na primeira parte deram ao Werder Bremen um triunfo por 3-0 sobre a outra equipa que também se apurou para os 16 avos-de-final, o Athletic Club, vencendo também o Grupo L da UEFA Europa League, o mesmo do Nacional.

Começo forte
Com ambas as equipas já com lugar marcado para o sorteio de sexta-feira, o objectivo dos espanhóis era vencer pelo menos por 2-0, de maneira a desalojar a equipa de Hugo Almeida (entrou no minuto 62 para o lugar de Claudio Pizarro) do primeiro posto do agrupamento. Esse objectivo cedo se desvaneceu, pois os alemães entraram forte em campo e marcaram três tentos nos primeiros 36 minutos de jogo, através dos cabeceamentos de Pizarro e Naldo e de um remate de Markus Rosenberg.

Pizarro influente
Privado do lesionado Fernando Llorente, o Athletic revelava-se pouco ameaçador num encontro decidido pelo Bremen logo na primeira parte. O tento de cabeça de Pizarro aos 13 minutos, a cruzamento de Rosenberg da direita, foi o quinto do avançado peruano na prova, enquanto Naldo, sete minutos depois, marcou o seu segundo tento na competição quando cabeceou para golo o livre batido por Sebastian Prödl. Pizarro esteve ainda no terceiro tento, em que um passe seu foi desviado para os pés de Rosenberg e este finalizou sem problemas.

Resposta espanhola
Apesar do marcador desnivelado, a equipa de Joaquín Caparrós – que fez cinco alterações em relação à equipa que bateu o Real Zaragoza na Liga espanhola, no fim-de-semana –  não baixou os braços e depois do intervalo surgiu determinada em reduzir a desvantagem. Depois de bom trabalho na esquerda, Markel Susaeta centrou para Gaizka Toquero, cujo remate à entrada da área obrigou Tim Wiese a voar para impedir o pior. Toquero seria de novo impedido de festejar por Wiese pouco depois, quando o guardião germânico defendeu o seu disparo rasteiro. Isto foi o mais perto que os "rojiblancos" estiveram de marcar, enquanto o Bremen se limitou a controlar os acontecimentos que culminaram no segundo triunfo sobre os espanhóis.